segunda-feira, 23 de março de 2009

PESSOAS DIFÍCEIS: COMO LIDAR COM ELAS?

Todos os dias encontro alguém que sempre reclama: “Eu não aguento mais meu colega de trabalho (ou meu irmão, minha prima, meu chefe...). Oh, sujeito esquisito!”.
São pessoas que encontram, no seu cotidiano, o desafio de lidar com outras de temperamento diferente dos seus, às vezes para pior, às vezes para melhor.
Alguns reclamam dos caras mais reservados. Os predicados mais comuns a essas pessoas são “metido”, “chato”, “quietão”. Ninguém consegue entender porque determinadas pessoas preferem ficar sós.
Outros não suportam aqueles que só veêm mal nas coisas, nos atos e nas pessoas. De fato, viver sob suspeita não é nada fácil.
Outros dois tipos comuns são os que adoram seduzir (os gostosões) e também o tímido, que vive numa casca. Isso sem falar nos irritadiços, o “mal-humorados”.
Passo aqui algumas dicas de como lidar com quatro destes tipos, que encontramos todos os dias no trabalho, nas reuniões da igreja, do grupo de apoio ou mesmo na família.
Abra-se, conheça-os e tente uma abordagem diferente.
Confira:


O Eremita (o reservado)
Esta pessoa tem necessidade de ficar só. Parece que vive fora deste mundo. Muito reservado, faz a opção de não estabelecer contato com os outros, e isso gera, com certeza, um bocado de mal entendidos. É o tipo do “faça você mesmo”. Gosta de trabalhar só e é capaz de criar o seu próprio mundo pois o seu poder de imaginação é fantástico.
Caso você tenha uma ascendência sobre essa pessoa (chefe, pai, mãe, tio, lider), use a regra basica da PNL: visite o seu Mapa! Tente entrar no seu mundo, mas não invada. Respeite o seu silêncio e aprenda a ouvi-lo pois ele tem grande poder de observação e pode contribuir muito. Se você o valorizar ele irá se aproximando pouco a pouco. Assim, você pode interagir mais através de mensagens, antes de procurar um contato pessoal.
Se você for um colega de trabalho, primo, irmão, amigo, não reclame de sua ausência nas festas de aniversário tanto da empresa como dos seus círculos comuns. Ao contrário do que parece, ele(a) não está agindo como um “metido”, e isto não quer dizer que ele não gosta do aniversariante. Convide-o , mas se ele não aparecer, não se preocupe.
Porém, aqui vai uma dica: Não o despreze! No dia seguinte à festa, que tal levar um pedaço de bolo, um saquinho de doces para ele e dizer, com carinho: “Cara, a festa tava o bicho, e sentimos sua falta. Enquanto não chega a próxima, curta essas delícias!”.

O maldoso (desconfiado, sacana...”eu não disse?”)
É preciso tomar um certo cuidado, pois este ai vê maldade em tudo, principalmente se o ato praticado o envolver. Cada coisa ruim que acontece com ele ou perto dele é interpretado como um ato premeditado para prejudica-lo.
Porém, antes de ficar fulo da vida com o cara, lembre-se que ele(a) sofre, pois quem não confia em ninguém fica isolado. É possível até que ele não confie em você, que poderia até ajudá-lo (e isso pode até atrapalhar a tentativa).
Antes de mais nada, se você tem ascendência sobre ele(a) não o(a) persiga, pois deste jeito você dará a esta pessoa a confirmação de uma crença. Ela via dizer, com certeza: “Eu tinha razão! Não posso confiar em você”. Seja firme, mas não irritadiço, nada de emoções mal controladas. Acima de tudo, não tente jogar o mesmo jogo, muito menos dentro do campo dele, pois nesta área ele é Mestre.
No entanto, não fuja do conflito. Esclareça todo e qualquer mal-entendido, exprima-se de forma clara, seja direto e objetivo. Se for emitir uma crítica seja específico! Se não gostou de algo, diga claramente: “Não gostei quando você fez isso, ou aquilo”.
Falas do tipo: "Assim não dá” ou “É difícil trabalhar com você”, só pioram a situação. Evite também despertar desconfianças: uma boa maneira, por exemplo, é responder sem demora às suas mensagens, mas se não puder, faça-o na primeira chance.
Este tipo de ser dificil é um bom estrategista, pensa em todas as possibilidades (exatamente pelo medo de não se dar bem). Ouça-o quando for tomar decisões sobre como fazer para “chegar lá”.
Entre colegas às vezes a situação é menos tensa. Mas não custa nada evitar criticas mordazes ou sem sentido. Se tiver que reclamar de algo, reclame do que ela faz, mas diretamente a ela, e não aos outros.

O Sedutor (o gostosão)
É o tipo de pessoa que “se algo se mexe, tem que ser conquistado”. É a sua manobra para chamar atenção. Tem um tipo de personalidade que quer ser vista, observada e por conseguinte apreciada.
A sua postura deve ser firme, mas no sentido de mostrar que não leva seu jogo a sério. Se cruzar o olhar com ele(a) e de lá vir um olhar terno acompanhado de um sorriso encantador, corresponda, mas do seu jeito! Também não pense que ele quer te namorar. Essa postura, para o sedutor, é simplesmente um passatempo. Dê atenção a ele(a), mas não demasia, senão... Faça-o(a) ver que você conhece o jogo dele(a) e que não o(a) leva a sério, nem aos seus supostos ataques de jogo de sedução. Não faça o jogo dele! Mostre que está no seu posto, no seu centro, e seja você mesmo(a).
Entre colegas, às vezes, o sedutor demonstra um certo ciúme e mal suporta que você tenha outros amigos. Ora, não valorize suas lamentações, reclamações, choradeiras... reafirme sua amizade e continue a viver como sempre viveu.

O tímido (fechado, temeroso)
Esse parece uma noz com uma casca que não abre. Não gosta muito do contato com pessoas, evita se expor e foge das discussões em grupo. É o tipo que até falta a reuniões, para não ter que ser confrontado.
Assim como o reservado, parece , às vezes esnobe ou antipático, mas, se você tiver uma chance de conhecê-lo(a), verá que é uma pessoa muito sensível que tem, o tempo todo, medo de ser rejeitada. Sente-se inferior e sofre com a própria falta de confiança.
Estas pessoas chegam ao cúmulo de rejeitar uma promoção, ou tremem na base quando existe esta possibilidade, pois trata-se de ficar sob as luzes, em total exposição.
Aos que comandam esta pessoa no trabalho, ou a lidera no grupo, na familia... mostre que você leva em conta a sua opinião, e prove que as idéias que ele(a) apresenta não são tão bobas como ele(a) pensa. Faça-o(a) notar que não é porque vocês dois não pensam igual que ele deve se calar.
Por fim, ajude esta pessoa lhe dando trabalhos com dificuldades que aumentam aos poucos. Assim, superando os desafios, a confiança dele pode aumentar mais e mais. Se conseguir conquistar sua amizade, vai falar mais facilmente, pois não se sentirá tão inseguro com você.
Quando o relacionamento é entre parceiros de grupo ou colegas de trabalho, os contatos podem ser mais tranqüilas pois ele tem chance de conhecer os colegas melhor e não tem a “barreira” da hierarquia. Porém, se você deseja mesmo ajudá-lo a sair da casca, convide-o para almoçar cada dia com um ou dois colegas diferentes, ou a cada fim de semana com um grupo diferente, pois assim, de forma que progressiva e lenta, ele aumenta o seu círculo de confiança.

Em tempo: Em um próximo post, falo sobre os mal-humorados, ok?

Para ser dito sempre que for lidar com pessoas difíceis: “Minha querida alma, faça de mim um campeão de compreensão e de rapport”.

Um comentário:

  1. Adorei esse post... Tenho enfrentado problemas com pessoas como as descritas, e me ajudou muito essas boas dicas, Antonio. Aguardo o post do irritadiço!

    ResponderExcluir

Translate

POSTS MAIS RECENTES NO SEU EMAIL - CADASTRE-SE!