quarta-feira, 28 de julho de 2010

HOJE É DIA DE LIMPEZA

Sabe aqueles dias em que a gente acorda e decide dar uma faxina geral em nossa casa? Quantas vezes fazemos isso com nossas próprias vidas?

Pois é... estava precisando fazer uma faxina em mim. Jogar alguns pensamentos indesejados para fora, lavar alguns tesouros que andavam meio enferrujados..
Tirei do fundo das gavetas lembranças que não uso e não quero mais.
Joguei fora alguns sonhos, algumas ilusões... Papéis de presente que nunca usei, sorrisos que nunca darei; Joguei fora a raiva e o rancor das flores murchas que estavam dentro de um livro que não li. Olhei para meus sorrisos futuros e minhas alegrias pretendidas... E as coloquei num cantinho, bem arrumadas.
Fiquei sem paciência!... Tirei tudo de dentro do armário e fui jogando no chão: Paixões escondidas, desejos reprimidos, palavras horríveis que nunca queria ter dito, mágoas de um amigo, lembranças de um dia triste... Mas lá também havia outras coisas... e belas!
Um canário da terra cantando na minha janela... aquela lua cor-de-prata, o pôr do sol!... Fui me encantando e me distraindo, olhando para cada uma daquelas lembranças. Sentei no chão, para poder fazer minhas escolhas.
Joguei direto no saco de lixo os restos de um amor que me magoou. Peguei as palavras de raiva e de dor que estavam na prateleira de cima, pois quase não as uso, e também joguei fora no mesmo instante!
Outras coisas que ainda me magoam, coloquei num canto para depois ver o que farei com elas. Talvez as esqueça lá mesmo, mas imagino que melhor será mandá-la para o lixão.
Aí, fui naquele cantinho, naquela gaveta que a gente guarda tudo o que é mais importante: o amor, a alegria, os sorrisos, um dedinho de fé para os momentos que mais precisamos... como foi bom relembrar tudo aquilo!
Recolhi com carinho o amor encontrado, dobrei direitinho os desejos, coloquei perfume na esperança, passei um paninho na prateleira das minhas metas, deixei-as à mostra, para não perdê-las de vista.
Coloquei nas prateleiras de baixo algumas lembranças da infância, na gaveta de cima as da minha juventude e, pendurada bem à minha frente, coloquei a minha capacidade de amar... e de recomeçar...


Agora, estou sentado em minha poltrona, admirando, ainda que por alguns minutos, a bela obra de limpeza que fiz em minha vida.
Está aí ainda? Prestando atenção no meu trabalho interior?
Obrigado, mas melhor mesmo é experimentar a mesma sensação. Que tal começar a sua limpeza?
Faça isso agora, pois pode não haver tempo amanhã.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

A LIÇÃO DO PESCADOR

Você é do tipo que passa 24 horas pensando em como ganhar dinheiro para "um dia poder curtir a vida"?
Preste atenção no que aconteceu numa cidade do Litoral Paulista. Uma história que mudou a vida de um milionário do ramo da pesca.

"Um rico empresário do ramo da pesca resolveu pegar sua lancha e dar um passeio pelo mar. Ele queria, além de fiscalizar o trabalho de seus vários barcos e empregados, avaliar o tamanho de sua riqueza.
Viu os barcos em ação, os pescadores no trabalho duro, e já pensava em como comprar novos pesqueiros. 'Do jeito que vão os negócios, tenho tudo para ficar ainda mais rico', pensava,  já fazendo contas em sua cabeça.
Olhou no relógio. Eram três horas da tarde. Tinha prometido que iria ver o filho jogar futebol no torneio da escola, mas o trabalho, ah, esse trabalho, não deixou. Tentou ligar para o garoto, para explicar, mas o pequeno não quis nem saber. Não foi a primeira pisada na bola. Se sentiu culpado, mas, fazer o que? Era para o bem do garoto mesmo que ele trabalhava tanto.
Enquanto tentava fazer a ligação, olhou para algumas montanhas, perto de uma mata. Um barco estava atracado nas proximidades das rochas, e um homem tirava uma soneca, com o chapéu descido no rosto, enquanto uma vara de pescar robalos estava na espera. O empresário não se conformou. Sabia que o homem não era seu empregado, mas não suportava ver gente à toa.
Resolveu fazer a sua parte para "ajudar o homem a crescer". Dirigiu sua lancha até o local.
- Eeeei! - gritou.
O rapaz retirou o chapéu do rosto, olhou para baixo.
- Pode falar, amigo!- respondeu.
- Você não tem que trabalhar? Ainda há tempo para pegar muitos peixes, rapaz!
- Ora, moço, eu já pesquei o que precisava de manhã. Vendi o que precisava vender... Volto pra lida amanhã cedo.
- Mas, você é burro?
- Eu, burro? Porque?
- Porque você poderia pegar este seu barco e pegar mais peixes...
- Mais peixes... pra que?
- Pegando mais peixes, você consegue ganhar mais dinheiro.
- Ah... sei, mais dinheiro. pra que?
- Com mais dinheiro, você pode comprar mais barcos, contratar outros pescadores.
- Hummm... é uma idéia interessante. Mas, pra que?
- Ora, desta maneira, você pesca mais, e vende mais, e ganha mais dinheiro, e fica rico como eu fiquei.
- Ah, é isso? Legal, moço. Parabéns pela sua riqueza. Mas... pra que?
- Hein! - o empresário já estava exasperado pela falta de ambição do pescador - Ora, seu burro! Com muito dinheiro no bolso, você pode finalmente curtir a vida!
- Curtir a vida? Aaaaahhhh...- disse o pescador. E com tranquilidade recostou na montanha novamente. - Olha, moço: eu trabalho de manhã, ganho muito dinheiro, depois levo meu menino pra escola, depois venho pra cá pescar robalos, e se pegar, tudo bem... senao, tudo bem também... O importante é que dá tempo de eu ir ver meu menino jogar bola, assistir as apresentações de minha menina, e ainda brinco com eles depois da aula. E quanto a curtir a vida... ora essa, isso eu já faço!
Diante do estupefado empresário, o pescador puxou novamente o chapéu para o rosto, deu uma boa espreguiçada e completou: - Quem é burro nesta história, hein?"
Fica aí a lição.

terça-feira, 13 de julho de 2010

O QUE É PNL

Sem dúvida, as perguntas que eu mais respondo em e-mails estão relacionadas ao que significa e o que faz a PNL  -  Programação Neurolinguistica.
Claro que envio respostas técnicas, que por mais simples que sejam acabam se tornando enfadonhas.
Então, resolvi contar esta pequena história, que ouvi num dos cursos dos quais participei quando estava em formação nesta área tão fascinante.

"O garotinho chega até a mãe, depois de ouvir uma longa conversa entre o pai e o seu patrão sobre a Programação Neurolinguistica..
- Mamãe, o que é PNL? - perguntou, curioso.
- Já a mamãe responde, filho. Me faz um favor antes? Vá até o seu avô e pergunte como está o nervo ciático dele.
O garoto foi imediatamente até onde estava o avô e fez a pergunta que a mãe ordenara.
O velho fez uma careta de dor, se mexeu no sofá, e respondeu: - Cada vez pior, meu neto. Sinto pontadas o tempo todo, não consigo nem sentar e nem andar direito, e isso fica pior ainda quando está frio. Puxa, que sofrimento! - disse, com um olhar triste.
O garoto deixou o avô, que ficou ali, gemendo.
- Pronto, mamãe, o vovô disse que não está muito bem. Mas o que é PNL?
- Espera, fiho. Volte lá e pergunte para seu avô qual foi a coisa mais engraçada que você já fez.
O garotão, lépido, voltou à sala da TV. - Vovô, qual foi a coisa mais engraçada que eu já fiz?
Passou uma espécie de raio de luz pelo rosto do velho. - Ah, foi muito engraçado quando a gente estava num parque, tomando sorvete, e você começou a se lambuzar todo porque cada vez que se sujava ouvia as pessoas dizerem que você era muito fofo. Então um homem que estava perto disse que você devia parar de se lambuzar, lembra? Você respondeu: "Se voxe xe lambujaxi qui nem eu, num tinha essa cara feia"!. - E o velho gargalhou. Ficou, depois, lembrando outras estrepolias do neto querido.
- Pronto, mãe... - disse o garoto após o retorno à cozinha - E aí, vai responder minha pergunta?
- Você mesmo já viu, filho. E você fez PNL agora.
- Como é que é?
- Quando você perguntou ao seu avô sobre seus problemas, ele entrou no jogo e agiu como um doente: arqueou o corpo, começou a gemer, fez cara triste. Quando você perguntou sobre coisas engraçadas que você fez, ele esqueceu da doença e endireitou o corpo, sorriu, buscou lembranças boas...Isso é PNL: Saber que cada um tem seu mundo, e conduzí-los sempre a viver no melhor de suas experiências.
O garoto decidiu então que a partir daquele momento iria procurar sempre pensar em coisas boas, e que tomaria muito cuidado com o que falaria para as pessoas que amava".

------------------------------------------------------------------------------------

sexta-feira, 9 de julho de 2010

CASO BRUNO - O QUE VOCÊ AVALIA: A "CAPA" OU O "RECHEIO"?


Nos últimos dias, o "caso Bruno" tem prendido a atenção de todos aos telejornais, rádios, internet, imprensa escrita e todo e qualquer meio de comunicação (inclusive o "jornal fofocal", o "Besteiragens News" e outros que nao tem dono, não tem redação mas estão na boca do povão). O mais interessante nesta história, depois de todo o horror produzido pelo grupo assassino do goleiro, é a forma como são questionadas as suas atitudes.
Entenda: Não estou falando do fato que as pessoas em geral (inclusive este que vos escreve) se revoltaram com o crime, ficaram enojadas, com raiva, tristes e toda forma de sentimento negativo, mas dos motivos nos quais pautam esta revolta.
Quase todo mundo que comenta a história, cita a riqueza, a fama e o sucesso do goleiro como principais motivos para a "surpresa" que tomou a todos de assalto por conta do crime. "Porque ele pôs tudo a perder? Porque matar se poderia pagar o que ela pedia? Porque arriscar uma vida de luxo, de sucesso e de grandeza por 3, 4 mil reais?". Incrível como quase ninguém sequer se lembra de que o crime vitimou uma mulher, que em toda esta história há uma criança de apenas quatro meses envolvida sem nem mesmo ter consciência disso, e várias familias (tanto a do goleiro como a da vítima e as dos envolvidos no ato cruel) tiveram suas vidas totalmente transformadas por este ato insano. Só se preocupam com o fato de o principal suspeito ser "um dos idolos da maior torcida do Brasil".
Isso, sim, me preocupa, e muito!
Preocupa porque mostra que o sistema conseguiu, de maneira quase (graças a Deus, quase) irreversível, instalar o virus da aparência exterior, da medição de caráter pelas posses, posição social ou sucesso que se tem. Nosso mundo globalizado e tecnicista está vencendo de goleada a necessidade de auto-conhecimento, de interesse pelo próximo, de se valorizar o ser HUMANO.
Vivemos num sistema onde tudo é avaliado pela "capa": a roupa que vestimos, a beleza fisica (por isso tantos cirurgiões plásticos estão milionários e um dos negócios mais rentáveis é a montagem de uma Academia), o carro que usamos, a mansão que possuimos (ou não, como é o meu caso), a conta bancária... quando esta capa vem também com as cores da fama e do sucesso, então, fica ainda mais atraente. O que ninguém avalia é o "recheio", ou seja, a pessoa que está por trás, por dentro ou simplesmente tomada por tudo isso.
Não estou aqui para fazer um tratado psicológico sobre os envolvidos neste crime bárbaro, mas para expressar a todos, ou pelo menos aos que lerem este post, o quanto é preocupante ver que nosso espanto, nossa surpresa e até nosso asco contra tudo isso se dá pelos motivos errados. Perguntamos porque uma pessoa RICA, marcada pelo SUCESSO, FAMOSA faz este tipo de coisa, e esquecemos de um detalhe que faz toda a diferença: que assim como nós, elas são GENTE, o bicho mais imprevisível e mais sujeito a desequilibrios da face da terra (senão do Universo, até que me provem o contrário).

PS: Algumas pessoas se revoltam quando chamo os envolvidos neste caso de "GENTE". "São animais insensiveis", dizem. No entanto, não ofendamos os pobres animais. Já viu uma onça matar porque a outra é mais bonita? Ou um leão abandonar seus filhotes (ou ainda matar a leoa, mãe deles)? Um cachorro abandona seu dono, morador de um casebre, para trocá-lo por alguém que conheceu ontem, apenas porque esta outra pessoa mora numa mansão? Os animais são melhores que nós. Não têm preconceitos e não sabem esconder quando gostam ou não de algo.
Nós, os safados "humanos" é que agimos assim, ok?


Se tirarmos o dinheiro, o poder, a fama destas pessoas, o que sobra? Você os avaliaria de forma diferente? Ou simplesmente os ignoraria? Se fosse um favelado, um assalariado, um gari, empregada doméstica ou algo parecido, toda esta história faria mais sentido? Talvez nem tivesse chance de se perguntar, porque o caso não seria alvo da mídia.
Em primeiro lugar, se dinheiro, cargo ou posição social revelasse quem é de fato uma pessoa, não teriamos padres ou pastores pedófilos, advogados cortadores de cabeça, politicos ladrões, policiais assassinos/traficantes, procuradoras da república que torturam crianças, filhos de delegados e empresários de sucesso que estupram meninas de 14 anos... e nem atletas psicopatas.
Mesmo assim, insistimos e basear nossas avaliações sobre os outros geralmente nestes "certificados de pedigree".
Os grandes golpistas da atualidade sabem disso. Quantos não se apresentam nos sites de relacionamento mostrando suas "credenciais" de milionário ou pelo menos de poder (tendo-os ou não) para conquistar "um grande amor", e depois roubam ou mesmo MATAM as incautas vitimas, que se apaixonam pelo envelope e não leem a carta que vem dentro dele? Quantos politicos não se apresentam como pessoas honestas, bem-sucedidas, inteligentes, formado nisto ou naquilo, e depois são alvos de matérias que os apontam como corruptos, assassinos, ladrões... Os golpistas sempre conseguem conquistar suas vitimas, e os politicos acabam eleitos porque? Porque NÓS pensamos do jeito que eles querem que a gente pense, porque nós também acreditamos no poder, na fama, no sucesso, e os buscamos como sinônimos de "FELICIDADE".
Nem pensamos que, independente de dinheiro, casa, carro, posição social ou algo parecido, estamos sempre diante de seres humanos, cujas mentes estão sujeitas a traumas, manias, doenças... que têm um coração sujeito a emoções negativas, mágoas, tristeza, raiva... que passam por uma educação que pode conduzí-las a serem pessoas maravilhosas ou monstros. Você, eu, o Bruno, o Macarrão, o casal Nardoni, o Guilherme de Pádua, a Suzane von Richthofen não somos diferentes na essência. Nós também podemos ser tão ou mais cruéis que cada um destes criminosos famosos. Mas pode apostar que muita gente abriu as portas para eles pelo que possuiam, e não fariam o mesmo por "gente como a gente". No abrir esta porta, quantos não correram sérios riscos...?
Não foi isso que fez a jovem Eliza, que via no glamouroso mundo do futebol tudo o que "ela sempre sonhou"? Não foi por isto que ela se envolveu com o goleiro? E por fim, não foi esta a causa de sua morte? Agora a defesa dos "bem sucedidos" assassinos querem transformá-la em uma "reles"garota de programa, conhecida por Bruno numa orgia. E o que ele estava fazendo lá? (Não respondam...rsrsrs). O que estes advogados nem imaginam é que esta garota apenas procurava, como tantas pessoas deste mundo, a tão sonhada felicidade. E, como tantas outras, procurava no lugar errado, com as referências equivocadas. Ela se encantava com mitos, não com as pessoas. O mito a seduziu, e a pessoa por trás do mito a matou.
Se ela soubesse se relacionar com gente, saberia que o melhor seria ficar distante deste rapaz, que também procurava ser feliz, mas seus conflitos, sua história de vida, as mágoas geradas pelo abandono dos pais e tantos outros infortúnios não deixavam. Nem toda a fama do mundo consegue suprir uma alma dilacerada pelas memórias negativas.
Só quem busca o pleno conhecimento de si consegue o milagre do autocontrole. Bruno sabe muito bem como defender gols, mas não tem a menor idéia de como é por dentro, de como reagir às adversidades, de como superar contrariedades.
No dia em que cada pessoa deste mundo der mais valor a si mesma, no dia em que valorizar o autoconhecimento em primeiro lugar, e não fatores externos, no dia em que souberem como lidar com seus próprios monstros internos, e não tentá-los sufocar com luxo, riqueza, bebida, comida, posses em geral, aí sim, teremos um mundo bem mais feliz, mais justo, com mais paz.
Os crimes cessarão? Talvez sim, talvez não... mas pelo menos ocorrerão em menor escala, e antes mesmo que a mídia dispute audiência para tentar explicá-los, todos já terão plena consciencia dos porquês presentes no fato. Quando nos conhecemos, conhecemos aos outros.

Outro PS: Vale dizer que ninguém aqui é contra a riqueza, uma boa vida, a alegria de se poder pagar pelo que se deseja ter ou fazer. Só acreditamos que o que faz uma pessoa realmente feliz não está nestas coisas, mas em sua capacidade de se compreender, se aceitar, se perdoar... e isso é que deveria torná-la especial também para os outros.


Que se faça justiça no "caso Bruno". E que tiremos desta história lições para nossas almas.

"Minha querida alma, seja fonte de autoconhecimento, autocontrole e, acima de tudo, amor próprio"

terça-feira, 6 de julho de 2010

O BIORRITMO E A DERROTA DA SELEÇÃO

 Como os ciclos biológicos dos jogadores da seleção canarinho podem ter influenciado na tragédia ocorrida contra a Holanda, e como poderia ter sido evitada.

Após a derrota do Brasil para a Holanda, foram muitas as tentativas de explicação para a tragédia. Psicólogos foram ouvidos, técnicos, comentaristas (muitos deles com uma alegria incontida por dentro, pois é melhor estar certo do que ser feliz)... todos elencavam suas teorias, davam suas "aulas de conhecimento de futebol".
Quando alguns amigos começaram a comentar sobre o triste resultado daquela sexta-feira, e quando me perguntaram se concordava com as explicações dadas para o fato, eu disse que não.
"O que você acha que aconteceu então?" Me perguntaram.
Me lembrei então das reações de jogadores como Robinho, Kaká... a falha de Júlio César... e não tive dúvidas: "Biorritmo", disse, simplesmente.
Naturalmente, meus amigos ficaram de orelha em pé e um monte de interrogações no alto da cabeça, rondando-as como satélites em torno de um planeta. Embora seja antiga e altamente eficiente no levantamento das potencialidades humanas em momentos determinados, o Biorritmo é pouco conhecido.
Não resisti e resolvi postar algo sobre isso aqui, em nosso blog Palavras Mágicas. O post é um pouco longo, de fato, mas vale a pena ler até o fim. Depois, se quiser saber como fazer para usar esta ciência em seu beneficio, entre em contato comigo: 9902-0871 ou mbs.instituto@gmail.com.

Deixe-me, primeiro, fazer uma sintese desta ciência interessantissima.

O biorritmo é uma garantia para lidar melhor com suas atitudes e entender porque, às vezes, a gente acorda de mau humor, ou cansado, ou sem muitas idéias...
Tem dias que nada parece dar certo. Acordamos cansados, carregando o mundo nas costas, com preguiça mental e sem ânimo para nada. Até mesmo fazer uma simples conta ou lembrar de um nome passa a ser um sacrifício.
Há outros em que ficamos de mau humor e agredimos alguém sem querer ou nos magoamos com uma simples palavra. Esse comportamento de ar de TPM,  mas ... não é.
Todos esses fenômenos podem acontecer com qualquer pessoa porque nós somos regidos por ciclos com alguns períodos de energia negativa e positiva, chamados de biorritmo ou ciclo biológico.
Para aproveitar seus dias positivos, ou se preparar melhor para os dias negativos, precisamos avaliar o estado dessas energias. Isso é feito pelo estudo individual da data do nascimento, onde é possível detectar os melhores e piores dias de cada pessoa no ritmo físico, emocional e intelectual.
Sabendo como está o nosso “relógio biológico” podemos direcionar e desempenhar melhor nossa vida, através das atividades profissionais e de lazer.
Com base nesta ciência, professores marcam provas, times mudam jogadores, lutadores de box marcam suas lutas... Tem uma ampla gama de possibilidades.

Os três ciclos básicos (e como estavam os jogadores em relação a cada um deles).

CICLO FÍSICO
O Ciclo Físico se processa a cada 23 dias, controlando nossa energia vital.
É gerado através de nossas células musculares e seus efeitos são sentidos na vitalidade física e disposição para realizar tarefas que necessitem de nossa força muscular.
Em sua fase positiva nos proporciona uma sensação de bem estar, mais disposição física, e conseqüentemente ficamos mais resistentes a doenças e/ou viroses. Na sua fase negativa, dá aquela moleza e uma vontade de não fazer nada, além de favorecer erros (como o de Julio Cesar).
Esse ciclo não mostra como está nossa saúde, mas indica a fase em que ela se apresenta mais propensa à debilidades, cansaços e como vamos nos comportar diante de uma situação.
Portanto é fundamental na área médica, para marcar exames, cirurgias, um simples tratamento dentário ou a favorabilidade para um bom diagnóstico. Na sua fase positiva, nosso organismo irá responder bem melhor a qualquer intervenção na área médica que seja necessário.
Para um atleta, nas fases positivas favorece um desempenho melhor em competições esportivas ou mesmo em um treinamento. Nas academias, os exercícios podem ser “dosados” de acordo com o biorritmo de cada aluno.
Jogadores: Júlio César, o nosso goleiro, estava na fase negativa deste ritmo. Daí pode se explicar a falha no primeiro gol da Holanda. Robinho, Maicon, Luis Fabiano, Lúcio, Gilberto Silva e Juan também estavam no negativo. Os demais estavam na fase positiva, mas há outros fatores que se seguirão abaixo.

CICLO EMOCIONAL
O Ciclo Emocional se processa a cada 28 dias, e controla a nossa sensibilidade, sentimentos, emoções e o temperamento, sempre dependendo das situações em que nos encontramos.
É gerado através de nossas células nervosas e seus efeitos são sentidos na nossa estabilidade emocional, capacidade de aceitar situações com maior controle e motivação interior.
Em sua fase positiva seus efeitos são percebidos no maior controle de nossas emoções e na estabilidade dos relacionamentos com as pessoas em geral, favorecendo assim que sejam tratados nessa época todos os assuntos de cunho emocional, seja de ordem afetiva, familiar ou profissional.
Na sua fase positiva, o humor, a paciência, a sensualidade e os nossos sentimentos estão em alta.
Já na sua fase negativa estaremos com uma tendência a um temperamento depressivo, irritável e de intolerância.
Devemos lembrar que este ritmo é um dos mais importantes que possuímos, pois interfere diretamente aos ciclos físico e intelectual tornando-se coadjuvante e devendo ser analisados em conjunto.
Este ritmo enfim tem a capacidade de interferir de forma consciente todo o nosso metabolismo interno, processando no nosso intelecto e no nosso físico o que nossa emoção determina.
Médicos, físicos e cientistas já constataram que quando esse ciclo se equilibra transfere essa sensação para os outros ciclos permitindo um resultado positivo em qualquer outra área.
Jogadores: Juan, Nilmar, Maicon, Luis Fabiano, Robinho e Gilberto Silva estavam em plena fase negativa do emocional. Os demais estavam no positivo. Daí se explica os destemperos de Kaká e de Robinho (mesmo porque eles estavam no "auge negativo", como explico em outro tópico abaixo).

CICLO INTELECTUAL
O Ciclo Intelectual se processa a cada 33 dias e controla a nossa capacidade de raciocínio.
Ele é gerado através de nossas células cerebrais correspondentes ao hemisfério esquerdo, e seus efeitos são sentidos em nossa capacidade de raciocínio, rapidez na compreensão e lógica.
Porém ele não mede a nossa inteligência, apenas indica as fases favoráveis e desfavoráveis respeitando sempre o potencial de cada um. É certo afirmar que apesar desse fator importante, podemos e devemos ampliar nossa capacidade intelectual, pois esse é um dos objetivos desse trabalho.
Em sua fase positiva registramos uma percepção mais aguçada somada a uma capacidade bem maior de concentração, memorização, expressão e entendimento, favorecendo a tomada de decisões importantes.
Em sua fase negativa, compromete nosso cérebro nos trazendo uma tendência a uma difícil concentração, baixa capacidade para julgar, analisar e tomar decisões, podendo ocasionar deslizes em nossa área profissional.
No Japão este ritmo é muito utilizado pelos executivos em grandes decisões de negócios. Para quase todas as atividades profissionais esse ciclo atua de forma direta. Nos estudos deve-se sempre concentrar a realização de nossas tarefas envolvendo lógica em nossas fases positivas.
Jogadores: Gilberto Silva, Daniel Alves, Robinho, Maicon, Lúcio, Juan e Michel Bastos estavam na fase negativa do Intelectual. Não é mesmo estranho que estas pessoas, sempre criativas, não tenham conseguido criar nada diferente, e que o passe para o gol de Robinho tenha partido de Felipe Melo?

IMPORTANTE: Os ciclos analisados são levados em conta uma situação biológica normal.
A análise de uma pessoa que fuma e/ou faz uso de remédios controlados ou mesmo possui um sono irregular jamais será a mesma. Os fatores externos devem sempre ser levados em conta em cada análise. Atente para este detalhe.

DIAS CRÍTICOS
São os dias em que ocorre uma mudança de fase em qualquer ciclo (do positivo para o negativo ou vice-versa),isto é, quando nossa pontuação está “Zero”, e que biologicamente falando, esses dias ou bem próximo deles estamos mais propensos à ocorrência de um acidente, provocado por falha humana.
Analogicamente, o Dia Crítico corresponde a um túnel escuro e cheio de irregularidades que oferecem perigo, em que temos que passar dirigindo um automóvel com muito mais cuidado, passando do dia claro(positivo) para a noite (negativo), o mesmo acontecendo no processo inverso.
No Japão, profissionais que trabalham em sistema de escala, principalmente à noite, tem suas escalas alteradas, assim como pilotos de avião que não levantam vôo nesse dia. Nas grandes empresas, quando um funcionário está em dia crítico ele é alertado para redobrar a atenção em suas tarefas. Em empresas de aviação, metrô, transporte coletivo em geral o funcionário não trabalha pois o risco de acidente é grande.
No Brasil, levantamento feito pelo Ministério dos Transportes, confirmou que 90% dos acidentes de trânsito ocorrem por falha humana, 4% mecânica e 6% por condições das estradas.
Pesquisas no mundo inteiro, inclusive em Universidades, comprovam que de 70 a 90% dos acidentes ocorrem em DIA CRÍTICO e estão diretamente relacionados a uma falha humana.
Muitas pessoas pensam que o dia crítico é um dia que alguma coisa de ruim vai acontecer com ela. Engano total! Podemos traduzir o dia crítico como sendo um DIA DE ALERTA, onde todas as nossas tarefas, que envolvam qualquer risco, devem ser realizadas com muito mais atenção e cuidadas especiais.

Nossos DIAS CRÍTICOS podem ocorrer no ritmo físico, emocional ou intelectual, individualmente ou em conjunto, e em média temos de 4 a 5 dias críticos ao mês. Além do risco de acidentes nestes dias temos ainda a preocupação de "conflitos" no ciclo específico, que abordamos a seguir:

Crítico no ritmo físico
Fadiga repentina, indisposição, prostração e uma sensação de mal estar inexplicável até então. Nesse caso recomendamos evitar alimentação "pesada" e realizar tarefas que não gaste muita energia.

Crítico no ritmo emocional
Volubilidade, irritação, propensão à depressão e pouco discernimento das coisas. Recomenda-se nesses dias não realizar reuniões importantes ou mesmo evitar assuntos que possam nos fragilizar.
O ideal é sair da rotina.

Crítico no ritmo intelectual
Propensão a equívocos ao fazer análises sobre qualquer assunto. Em realização de provas redobrar à atenção as perguntas. Fazer palestras pela primeira vez nem pensar.
Recomenda-se não tomar decisões importantes.

Há ainda a possibilidade de um dia duplamente crítico (crítico em 2 ritmos) ou triplamente crítico. Nesses dias o risco de acidente dobra ou triplica. Analise também suas atividades profissionais e/ou estudantis.
Jogadores: O Jogador Elano se machucou exatamente num dia em que estava em duplo crítico (Fisico e Emocional), e não voltou mais a jogar na Copa. Felipe Melo, no dia do jogo da Holanda, estava triplamente positivo, mas havia acabado de passar pelos críticos do físico e do intelectual (Por isso não acredito que o "acidente" com Robben foi mais uma bobagem e sem querer que por uma "explosão emocional", como afirmam alguns comentaristas).

Além dos dias criticos,
temos também o que chamo de "auges". O auge positivo ocorre quando estamos "em alta". Ocorre do 5º ao 7º dia do ciclo fisico, do 6º ao 8º dia do Emocional e do 7º ao 9º dia do Intelectual. O negativo ocorre após o dia Critico de passagem para o negativo, e indica quando estamos "em baixa". A saber: Fisico: entre o 17º e o 18º dia. Emocional 20º ao 22º dia. Intelectual: do 23º ao 25º dia.
Jogadores: Nilmar, Luis Fabiano, Kaká, Robinho.Juan e Maicon estavam no auge negativo do emocional. Maicon e Robinho no auge do negativo no Fisico. Ninguém estava no auge positivo de nenhum dos ritmos.

Após a conversa com os amigos, e dos cálculos dos princpais jogadores da Seleção, descobri que a equipe técnica não utilizou esta ciência para orientá-los, para fazer alguma substituição, para escolher uma melhor forma de jogar... Basta notar que mais da metade do time estava negativada em ritmos essenciais à prática do esporte. Faltou força, faltou positividade, faltou inteligência, sobrou reclamação, choradeira...
Daí, apenas confirmei minha tese: Se alguém, uma pessoa que fosse, soubesse utilizar estes cálculos, talvez as coisas fossem diferentes.
No entanto, como o "se" não existe no futebol, o jeito é esperar até 2014, e que nossos lideres futebolisticos esqueçam um pouco a arrogância do "eu sei o que estou fazendo" para se render a simples, mas eficazes práticas de autoconhecimento, na busca pelos seus objetivos.

Em tempo: Vale lembrar que Biorritmo não é adivinhação. Quando sabemos em que fase estamos em cada ciclo, aproveitamos para nos preparar melhor, exatamente para não deixar que isso se torne uma profecia auto-realizável. Adivinhação deixamos para o "polvo da Alemanha", que até agora não errou nenhuma, mas está apontando a Espanha como finalista...Será?....rsrsrs

Translate

POSTS MAIS RECENTES NO SEU EMAIL - CADASTRE-SE!