sexta-feira, 26 de junho de 2009

UMA SIMPLES INVERSÃO: DA PROFECIA AO DESEJO REALIZADO

Estava à espera da entrega de uma compra que fiz por telefone, e resolvi escrever este post depois que me veio à cabeça como as mudanças podem ocorrer com uma atitude simples, tão simples que ninguém acredita que funciona (até testar).
Na última quarta-feira, num bate-papo com três adolescentes, começou a rolar o papo sobre relacionamentos familiares. Uma das jovens tinha brigado com a irmã, e já faziam cerca de duas semanas que não conversavam. As outras que participavam da conversa, amigas de ambas as irmãs, insistiam para que ela tentasse uma reaproximação, mas ela estava irredutível.
"Enquanto ela não pedir perdão pelo que fez, não tem conversa", dizia.
Comecei a pensar: De fato, a família é um centro onde gira tudo que se refere aos nossos melhores, mas também piores sentimentos. É nela que o amor se revela da maneira mais pura, mas quando o ódio surge, também vem com intensidade devastadora. Já parou pra pensar que nossos parentes quando falam algo para ofender, o fazem de um jeito mais doloroso que outras pessoas (inclusive seu pior inimigo?).
Já parou pra pensar também que as melhores coisas da vida, os melhores momentos, as mais gostosas festas e os momentos mais emocionantes também ocorrem dentro deste círculo tão especial, tão "sem par", como dizem os sul-mineiros?.
Pois é por isso mesmo que a familia nos ensina!
Ensina a amar, a trocar experiências, a suportar a dor, o sofrimento, as raivas, frustrações... Se você não consegue fazer isso em familia, nem tente pisar na rua, pois vai se dar mal. Como exemplo, podemos citar as tantas familias desestruturadas, onde nada é aprendido, mas só marcada pelos traumas, e que fazem tantas crianças acabarem preferindo as ruas (onde, não por acaso, só caem em desgraça).
Enquanto elas discutiam, resolvi entrar no meio com uma pergunta à jovem, mas sem entrar no mérito da discussão que elas tiveram: "O que você pensa de sua irmã, em todos os sentidos"?
As respostas:
"Ela é muito inteligente, mas não dá pra conversar porque tudo ela acha que sabe!"
"Ela é uma guerreira, enfrentou muitas coisas difíceis por nossa causa (a familia), mas quer mandar em todo mundo!"
"Ela gosta da gente, mas tem que aprender que nem tudo pode ser do jeito que ela quer!"
Perguntei então: "O que você sente, agora, por ela?"
"Ah, eu a amo demais, mas tá difícil perdoar umas coisas que ela falou pra mim!".
Então, foi outra pergunta:
"Você gostaria de resolver esse problema com ela?"
"Sim, eu gostaria pelo menos de voltar a falar com ela, mas nós duas temos gênios difíceis".

Então dei uma sugestão: "Que tal você inverter as frases que está dizendo, para avaliar o que sente com elas?".
A garota não entendeu, a princípio. Disse-lhe então: "Respire fundo, pare e pense na primeira resposta que você me deu e a inverta, colocando o que há de positivo na última parte da frase: "Minha irmã acha que sabe tudo, mas é mesmo muito inteligente!".
Ela concordou e fez o mesmo com as outras frases:
"Minha irmã quer mandar em todo mundo, mas é uma guerreira, e sempre lutou pela familia"
"Minha irmã só precisa aprender que nem tudo pode ser do jeito que ela quer, mas eu sei que ela gosta da gente!"
"Tá difícil perdoar umas coisas que minha irmã falou para mim, mas eu a amo muito!". (No momento em que ela falou esta frase, veio aquela típica engasgada de quem tem um nó na garganta). Ela parou uns momentos, chorou... e repetiu: Eu a amo muito, muito, muito... e tô sofrendo por isso tudo.
Então dei a sugestão final: "Que tal usar a sua última frase, mas invertida, para conversar com ela, citando também esta primeira parte?".
E ela saiu disposta a usar este princípio: "Eu a amo demais! Sei que temos gênios difíceis (ou seja, somos iguais até nisto) mas gostaria muito de voltar a conversar com você".
E quanto ao perdão? Ela até tinha esquecido deste detalhe. Isso porque onde há amor, não é preciso perdão, só aceitação de que cada pessoa tem seu jeito de agir e age de acordo com o que sabe fazer.
Ela me ligou hoje para dizer que voltou a conversar com a "maninha", e que o assunto provocador da briga ficou para depois. O que importava mesmo era estar perto uma da outra.
Confesso que fiquei bastante emocionado com isso (É... acontece com a gente também..rsrsrs).

PARA VOCÊ!
Tem o costume de deixar o negativo como parte final de uma frase, e o que diz vira profecia? Isso acontece porque a mente fica com a informação mais próxima. Ex: " Eu queria muito este emprego, mas acho difícil conseguir esta vaga". NÃO CONSEGUE!
"Eu tô muito a fim daquela(e) garota(o), mas ainda não sei como me aproximar". NÃO SE APROXIMA, E AINDA PERDE A PARADA.
Quando a gente coloca o positivo por último, ou ganha energia para ir adiante, ou abrimos espaço para novas informações à mente.
Repare: "Eu acho difícil conseguir esta vaga, mas quero muito este emprego!". ENTÃO VAI CONSEGUIR, PORQUE REVELOU UM DESEJO, NÃO UMA PROFECIA.
"Eu ainda não sei como vou me aproximar, mas tô muito a fim daquela pessoa". SE ESTE É O DESEJO, IRÁ SURGIR UMA FORMA DE SE APROXIMAR (O universo conspira a nosso favor para que nossos desejos se realizem).
Experimente pegar as suas "profecias" e as inverta. Não custa nada fazer e ainda por cima é, pelo menos, uma forma de mudar a linha de pensamento, ainda que esta mudança seja pequena.
Ah, e se surgir aquela coisa terrível de "Eu até posso fazer, mas não acredito que funcione" (típico de quem sempre se sabota), que tal inverter também? "Eu posso até não acreditar que funcione, mas não custa nada fazer e VOU FAZER".
Experimente!

"Minha querida Alma, seja fonte de amor! Minha querida alma, faça de mim, hoje e sempre, uma pessoa que investe na convivência e no aprendizado".

terça-feira, 23 de junho de 2009

JÁ OLHOU AS OUTRAS JANELAS?

Hoje deparei com uma cena não muito agradável.Um grande amigo perdeu o emprego, e me mandou um e-mail daqueles que derrubam a gente. Estava triste, deprimido, e a razão aprsentada, como sempre, ultrapassava o fato ocorrido. Explico: Meu amigo não reclamava apenas por ter perdido o emprego, não sofria só porque estava preocupado com as contas das casa (ele tem três filhos) e tampouco com a qualidade de vida que teria daí pra frente. Meu amigo sofria porque se julgava um inútil, um zero à esquerda, alguém "dispensável" por não possuir outras qualidades.
Não conseguia escrever algo que lhe mostrasse essa realidade de seus pensamentos, e que era isso que lhe deixava pra baixo (mesmo porque ele não ouviria, já que a dor, a decepção e a raiva ainda estavam presentes.
Entaõ, lhe mandei esta metáfora, que vi há alguns meses no site "Golfinho":

A outra janela

A menina debruçada na janela trazia nos olhos grossas lágrimas e o peito oprimido pelo sentimento de dor causado pela morte de seu cão de estimação.
Com pesar observava atenta o jardineiro enterrar o corpo do amigo de tantas brincadeiras.
A cada pá de terra jogada sobre o animal, sentia como se sua felicidade estivesse sendo soterrada também.
O avô que observava a neta, aproximou-se e a envolveu em um abraço e falou-lhe com serenidade:
- Triste a cena, não é verdade?
A netinha ficou ainda mais triste e as lágrimas rolaram em abundância.
No entanto, o avô que desejava confortá-la chamou-lhe a atenção para outra realidade.
Tomou-a pela mão e a conduziu para uma janela localizada no lado oposto da ampla sala.
Abriu as cortinas e permitiu-lhe que visse o jardim florido a sua frente e perguntou-lhe carinhosamente:
- Está vendo aquele pé de rosas amarelas bem ali a frente?
- Lembra que você me ajudou a plantá-lo?
- Foi em um dia de sol como hoje que nós dois o plantamos. Era apenas um pequeno galho cheio de espinhos e hoje veja como está lindo, carregado de flores perfumadas e botões como promessa de novas rosas.
A menina enxugou as lágrimas que ainda teimavam em permanecer em suas faces e abriu um largo sorriso mostrando as abelhas que pousavam sobre as flores e as borboletas que faziam festa entre umas e outras das tantas rosas de variados matizes que enfeitavam o jardim.
O avô, satisfeito por tê-la ajudado a superar o momento de dor falou-lhe com afeto:
- Veja, minha filha. A vida nos oferece sempre várias janelas.
Quando a paisagem de uma delas nos causa tristeza sem que possamos alterar o quadro, voltamo-nos para outra e certamente nos deparamos com uma paisagem diferente.
Tantos são os momentos de nossa existência, tantas as oportunidades de aprendizado que nos visitam no dia-a-dia que não vale a pena sofrer diante de quadros que não podemos alterar.
São experiências valiosas da vida, das quais devemos tirar lições oportunas sem nos deixar tragar pelo desespero e revolta que só infelicitam.
A nossa visão do mundo é muito limitada.
Se hoje você está a observar um quadro desolador, lembre-se de que existem tantas outras janelas, com paisagens repletas de promessas de melhores dias.
Não se permita contemplar a janela da dor.
Aproveite a lição e siga em frente com ânimo e disposição.
Agindo assim, o gosto amargo do sofrimento logo cede lugar ao sabor agradável de viver.

Pois é... e você? Já experimentou olhas as outras janelas de sua vida?
O fato é que, ao que parece, meu amigo olhou, pois tratou de mandar um outro e-mail, desta vez garantindo que iria criar um novo negócio, com base nas experiências profissionais vividas ao longo de sua vida.
Bão, né? Resolvi então postar este post, muito feliz por ter ajudado.

"Minha querida alma, seja fonte de valorização e respeito pelas minhas boas experiências"

segunda-feira, 15 de junho de 2009

O AMOR É CEGO (TAMBÉM PARA A CIÊNCIA)

Vi essa matéria no Yahoo! e não resisti: tinha que postá-la aqui. Cientistas confirmam que o Amor - Paixão desativa o senso crítico do cérebro. Depois... só Deus sabe!

Não é de hoje que o ditado popular "o amor é cego" é defendido com unhas e dentes quando o assunto é relacionamento. A frase é muito utilizada principalmente quando se vê um casal formado por pessoas de mundos diferentes, de pensamentos diferentes, idades diferentes, e até mesmo personalidades diferentes (Como por exemplo a boa moça que se envolve com um sujeito nada indicado, mesmo com um monte de gente dizendo para ela não cair nessa...). Às vezes, ela vem carreada de preconceito (quando a cor é diferente, a religião, a altura, o peso, a "beleza"...).
No entanto, estudos recentes comprovam que essa idéia vai muito além de um ditado popular. O neurologista André Palmini, da Faculdade de Medicina da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), afirma que quando o assunto é o efeito do amor no cérebro, a frase é comprovada cientificamente. Segundo ele, quando a pessoa está apaixonada por alguém, seu cérebro desativa estruturas responsáveis pelo julgamento crítico e por nos manter alerta contra ameaças do ambiente.
Os estudos ainda confirmam que os mecanismos cerebrais que identificam as atitudes dos outros de forma crítica são desativados. Dessa forma o apaixonado dificilmente consegue ver os defeitos e desconfiar da pessoa amada.
Hoje em dia, a Ciência dedica-se a entender o que motiva a mudança nas sinapses neuronais com o passar do tempo e o avanço da relação. Com a consolidação do sentimento, a pessoa passa a ver a outra pessoa amada de maneira muito parecida com a que vê as outras pessoas. O grande segredo a ser ainda descoberto pela neurociência é porque as pessoas continuam juntas, mesmo com as mudanças no comportamento cerebral.
Ou seja, enquanto a paixão está ativa, ainda dá pra explicar porque a pessoa ainda continua com o seu parceiro ou sua parceira, mas depois de um certo tempo, quando esta "Máscara" cai, os motivos que a fazem continuar ainda são desconhecidos, pois o "encanto" já passou.
Portanto, se você é daqueles ou daquelas que costumam criticar quem não vê os defeitos que todos nós vemos, saiba que a questão está no cérebro, e não nos olhos.
Por outro lado, quando me perguntam: "Como saber se eu estou realmente apaixonado(a) por aquela pessoa?", sempre respondo que é muito fácil: "Quando não existe mais nada entre você e ele(a), não tem nenhum empecilho, nenhuma condição, nenhuma qualidade ou defeito, mas apenas o "Eu e Você", aí você está apaixonado (a) de verdade".
Digo isso porque muita gente "procura" visualmente por uma paixão (a beleza, as qualidades, o poder aquisitivo, etc...). Ora! Se "o amor é cego", como posso "ver" por quem ou por qual tipo de pessoa irei me apaixonar?
Pois é... a Ciência mais uma vez comprova que "a voz do povo é a voz de Deus".
É por isso que acredito: para amar, para se apaixonar, tem que ter coragem, pois se trata, literalmente, de um passo (delicioso) no escuro! Felizes os que se arriscam nesta maravilhosa caminhada!

"MINHA QUERIDA ALMA, SEJA FONTE DE CORAGEM E DE LIBERDADE PARA AMAR"

VEJA TAMBÉM:
Maio (8)

quinta-feira, 11 de junho de 2009

PARE DE RECLAMAR! SEJA CRIATIVO!

Um cachorrinho, perdido na selva, procurando um meio de voltar para casa, de repente vê um tigre correndo em sua direção.
Olha para um lado, para o outro, vê uns ossos no chão, pensa rápido e se põe a mordê-los.
Então, quando o tigre está a ponto de atacá-lo, o cachorrinho diz:
- Ah, que delícia este tigre que acabo de comer!
O tigre pára bruscamente e sai apavorado correndo do cachorrinho, e no caminho vai pensando:
"Por essa eu não esperava! Vai que esse cão bravo resolva me comer também?".
Um macaquinho bem sacana, ao ver a cena, não pensa duas vezes: sai correndo atrás do tigre e conta como ele havia sido enganado.
O tigre, furioso, diz: - Cachorro maldito! Vai me pagar! E volta ao ataque contra o cãozinho.
O cachorrinho vê que o tigre vem atrás dele de novo e desta vez traz o macaco montado em suas costas. "Ah, macaco traidor! O que faço agora?", pensou.
Novamente pensou rápido, e em vez de sair correndo, ficou de costas,como se não estivesse vendo nada. Quando o tigre está a ponto de atacá-lo de novo, disse, como se estivesse impaciente:
- Macaco preguiçoso! Faz meia hora que eu o mandei me trazer outro tigre e ele ainda não voltou!
Novamente o tigre freou rapidamente e tratou de fugir, mas não demorou muito para descarregar toda a sua fúria para cima do macaquinho, que tratou de fugir e nunca mais brincou com o cachorro ou fez fofocas.
Esta é uma história antiga, que me foi contada em um dos vários cursos de Programação Neuro-Linguistica que fiz com o meu Mestre Pe. José Osvaldo Nunes, o falecido e sempre lembrado "Zé Ó", e que sempre traz grandes lições para minha vida (e pode trazer para a sua também).
Todos nós passamos por momentos difíceis, por crises, dificuldades. A grande pergunta é: Como fazemos para sair destes momentos, melhor do que estávamos antes?
Vivemos um período em que a necessidade de ser criativo é imperiosa, principalmente se levarmos em conta que muitas pessoas preferem nos deixar pra baixo (como o macaquinho) diante dos problemas (os tigres).
Assim como o cachorrinho, que usou a criatividade de maneira rápida e através de sua imaginação escapou de ser devorado pelo leão, hoje pessoas que têm, além da formação, também um bom grau de imaginação são as mais requisitadas para atuar em qualquer ramo. Estas pessoas não "sentam e choram"! Elas "pensam rápido" e procuram logo uma solução para o problema.
Estas pessoas sempre estão no topo quando o assunto é "passar" por uma crise, mesmo que muitas vezes sejam desacreditadas pelos "entendidos", pelos "intelectuais", mesmo porque estes tentam sempre apenas confirmar suas crenças, arraigadas nos bancos de sua formação ou com base na tradição adquirida em tempos de outrora que "quebrar" o círculo vicioso em que entraram (veja como exemplo alguns economistas-políticos, que nunca vêem seus "planos" darem certo, mas insistem em criticar os que funcionam, porque não foi bolado por alguém com a mesma formação).

Em que grupo você está?
• Uma equipe pintava uma igreja no interior de São Paulo. A tinta acabou quando a parte exterior estava quase concluída (ficou a parte da frente e a torre). Pior, a cor escolhida não seria mais fabricada (dava pouca venda). Um grupo resolveu fazer uma espécie de propaganda para explicar à população que teriam que mudar a pintura, mas isso levaria muito tempo, pois não havia dinheiro para refazer todo o trabalho "Por causa do desejo de lucro de empresários, nossa igreja vai ter que ficar assim por anos!", explicavam ao povo. A igreja ficaria pintada pela metade até que uma nova quermesse arrecadasse fundos para a pintura nova.
Um jovem da Pastoral da Juventude, no entanto, reuniu o seu grupo e deu uma idéia: Todos escreveriam cartas para a empresa fabricante da tinta, com elogios à qualidade do produto e expressando o desejo de continuar a pintura da igreja com as tintas fabricadas por ela, mas que combinassem com a já colocada nas paredes. Na mesma carta, pediam sugestões de como continuar o trabalho, já que na fábrica com certeza havia engenheiros e técnicos capazes de dar uma saída. Em menos de uma semana, receberam uma resposta da empresa, com três projetos de nova pintura, sendo que um deles usava outra cor para combinar com a já existente. A igreja ficaria com duas cores externas, mas uma parte frontal bem destacada, com cor que combinava com as paredes já pintadas. Outra cor foi sugerida a parte interior do templo.
Agradeceram a sugestão e receberam, em seguida, toda a tinta necessária para terminar o trabalho como presente da empresa que, claro, também fez o seu marketing.
O padre adorou a idéia, e a igreja teve o serviço concluído (ainda que sob protestos dos "entendidos", que insistiam na idéia da quermesse).
E se fosse você? Reclamaria da situação, insistiria nas soluções conhecidas ou tentaria novas saídas?
Não importa qual seja a área. Se você pensa como o cachorrinho, sairá muito mais rápido das situações embaraçosas que outras pessoas.
Outros Exemplos:
• Enquanto dezenas de empresas choram por conta da "Crise Econômica", outras compram ações das concorrentes, e crescem a patamares sempre mais altos.
• Enquanto economistas apontam "recessão técnica" no Brasil, pesquisas informam que a população tem consumido cada vez mais, principalmente produtos que trazem em seu bojo a preocupação com o social, o meio-ambiente e a qualidade de vida das pessoas.
• Enquanto alguns produtores reclamam que o governo deveria diminuir o ímpeto pela proteção ao meio-ambiente, diminuir impostos, etc... os pequenos produtores de orgânicos (que já atuam de maneira sustentável e com cuidados pela natureza e investem na exportação, mesmo com altos custos) estão enriquecendo.
• Empresas industriais e comerciais que insistem em agir contra a lei, ou em sonegar impostos, acabam quebrando. Empresas do mesmo gênero que procuram alternativas e mantém em dia as suas obrigações, têm sempre os melhores clientes. Como exemplo disso, donos de bares em cidades pequenas reclamam quando surgem portarias de juizado impedindo que menores consumam bebidas ou fiquem nas ruas. Estes empresário acham que sem os jovens não há lucro. No entanto, os bares e restaurantes mais movimentados são exatamente os que pedem documentos aos consumidores quando se desconfia da idade... O investimento principal está no serviço e nas atrações (shows, comida de boa qualidade, atendimento...).

Pense... Como você age quando surgem dificuldades em sua casa, em seu emprego, em sua escola, em sua empresa... Reclama, fica resignado, culpa os outros ou procura uma saída diferente?

"EM MOMENTOS DE CRISE, SÓ A IMAGINAÇÃO É MAIS IMPORTANTE QUE O CONHECIMENTO" (administradores.com).

Minha querida alma, seja fonte de criatividade e coragem de ousar".

Veja também: CRISE? OUSADIA RESOLVE!

O PRINCÍPIO 90/10

Pare de culpar ou confiar apenas no que está fora de você. Seja 100%

Uma professora do Ensino Médio me procurou, recentemente, porque estava com um princípio de depressão. Dizia que, embora ainda mantivesse o "fogo" da vocação para lecionar, nos últimos dias não têm conseguido estabelecer os melhores contatos com seus alunos.
Durante a conversa, em que deixo a pessoa falar bastante sobre o seu problema para então encontrar a saída (acredite, o problema está em nós, e a solução também), percebi, nitidamente, que os seus péssimos dias começavam já em casa, e não na escola, como ela imaginava. Logo de manhã, algo dava errado e então começavam os problemas (topou com o dedão na escada, acabou a pasta de dente, o marido se atrasou e não deu para comprar o pão, a filha não havia limpado a cozinha como ela havia pedido... e as reações, claro, eram explosivas.). Ela estava passando por um ciclo de pouca excelência, com respostas inadequadas para problemas corriqueiros do dia-a-dia e que refletiam em todas as áreas de sua vida.
Parece ainda para muita gente, infelizmente, muito difícil aceitar que tudo o que acontece conosco é resultado de nossas próprias ações. Com essa professora não era diferente.
Quando lhe disse que tudo poderia mudar quando ela assumisse uma nova postura diante de alguns fatos de sua vida, a pergunta que veio à sua mente era inevitável (e já esperada por mim): "Você quer dizer que tudo que está acontecendo é culpa minha?".
Alto lá!
Culpa, não. Responsabilidade, sim!
Então passei a falar-lhe do princípio 90/10, muito estudado na PNL .
Segundo Gasparetto, temos apenas 10 % do poder em nossas mãos através do Lívre arbítrio. 90 % pertence ao Universo (Cuidado com o que você deseja, porque pode conseguir. O Universo sempre conspira a favor de seus desejos). Porém, podemos ser 100% a todo momento, em qualquer hora. O que é preciso é perceber usamos estes 100%, e quando aproveitamos somente os 10%. Isto significa que quando alguém diz que "vai conseguir" algo, que "resolverá" determinada questão, que tudo vai funcionar do jeito que se deseja, conta com os 90 % restantes, ou seja, conta consigo mesmo e não apenas com o acaso ou com que os outros podem fazer ou deixar de fazer. Com isso, somamos 100%. A preocupação, o culpar os outros, o usar pouco da criatividade... isso é usar apenas 10% de nossas capacidades.
Já experimentou a sensação de estar em transe? Você pode até dizer "não", mas com certeza já esteve nestas condições. É quando a gente está agindo sem pensar, reativamente, no "piloto automático", como diria minha amiga Magaly, a Meg (Uma bela atriz baiana, que eu adoro!). Pense nos momentos em que você imagina que algo está errado (sua filha não chega e pode ter acontecido um acidente; o patrão olhou diferente para você e agora existe em sua mente a possibilidade de ser demitido; sua namorada ou namorado pisou na bola num compromisso e você pensa que ela (ele) está com outro(a); Você estã tão absorto nos pensamentos que não viu o carro quando ia atravessar a rua....). Isso é estar em transe.
Foi Meg quem, uma vez, postou em nossa comunidade do Orkut (Brain) este princípio, explicado por Stephen Covey. Obrigado, querida! Sabia que um dia isto seria útil para as pessoas que me pedem ajuda!

Que princípio é esse?
Os 10% da vida estão relacionados com o que se passa com você, os outros 90% da vida estão relacionados com a forma como você reage ao que se passa com você.

O que isto quer dizer?

Realmente, nós não temos controle sobre 10% do que nos sucede.
Não podemos evitar que o carro enguice, que o avião atrase, que o semáforo fique no vermelho. Mas, você é quem determinará os outros 90%.

Como?

Exemplo: você está tomando o café da manhã com sua família. Sua filha, ao pegar a xícara, deixa o café cair na sua camisa branca de trabalho. Você não tem controle sobre isto.
O que acontecerá em seguida será determinado por sua reação.
Então, você se irrita.
Repreende severamente sua filha e ela começa a chorar. Você censura sua esposa por ter colocado a xícara muito na beirada da mesa. E tem prosseguimento uma batalha verbal...
Contrariado e resmungando, você vai mudar de camisa. Quando volta, encontra sua filha chorando mais ainda e ela acaba perdendo o ônibus para a escola. Sua esposa vai para o trabalho também contrariada.
Você tem que levar sua filha de carro pra escola
Como está atrasado, dirige em alta velocidade e é multado. Depois de 15 minutos de atraso, uma discussão com o guarda de trânsito e uma multa, vocês chegam à escola, onde sua filha entra, sem se despedir de você. Ao chegar atrasado ao escritório, você percebe que esqueceu sua maleta. Seu dia começou mal e parece que ficará pior. Você fica ansioso para o dia acabar e quando chega em casa, sua esposa e filha estão de cara fechadas, em silêncio e frias com você.
Por quê?
Por causa de sua reação ao acontecido no café da manhã.

E então vem o grande ensinamento:
Pense: por quê seu dia foi péssimo?
A) por causa do café?
B) por causa de sua filha?
C) por causa de sua esposa?
D) por causa da multa de trânsito?
E) por sua causa?
A resposta correta é a da letra "E".

E se tivesse sido diferente?
Você não teve controle sobre o que aconteceu com o café, mas o modo como você reagiu naqueles 5 minutos foi o que deixou seu dia ruim.
Então imagine: O café cai na sua camisa, sua filha começa a chorar e então você diz a ela, gentilmente: "está bem, querida, você só precisa ter mais cuidado".
Depois de pegar outra camisa e a pasta executiva, você volta, olha pela janela e vê sua filha pegando o ônibus.
Dá um sorriso e ela retribui dando adeus com a mão.
Notou a diferença?
Duas situações iguais, que terminam muito diferentes. Por quê? Porque os outros 90% são determinados por sua reação.
Eis aí um exemplo de como aplicar o Princípio 90/10.
Se alguém diz algo negativo sobre você, não leve a sério, não deixe que os comentários negativos te afetem, reaja apropriadamente e seu dia não ficará arruinado.

Exemplos:
Como reagir a alguém que lhe atrapalha no trânsito?
Você fica transtornado? Golpeia o volante? Xinga? Sua pressão sobe?

E o que acontecerá se você perder o emprego?
Vai ficar preocupado, angustiado, perder o sono e adoecer?
Use a energia da preocupação para procurar outro trabalho.

Seu vôo está atrasado, vai atrapalhar a sua programação do dia.
Por quê manifestar frustração com o funcionário do aeroporto? Ele não pode fazer nada.
Use seu tempo para estudar, conhecer os outros passageiros.
Estressar-se só piora as coisas.

Agora que você já conhece o Princípio 90/10, utilize-o.
Você se surpreenderá com os resultados e não se arrependerá de usá-lo. Por desconhecerem o poder de escolher suas reações diante dos acontecimentos, milhares de pessoas estão sofrendo e se estressando desnecessariamente. E o estresse destrói nossa saúde e nos envelhece.
Todos devemos conhecer e praticar o Princípio 90/10. Ele pode mesmo mudar a sua vida!

Confiar, ter FÉ
"Penso que é a grande questão! Não é à toa que no final do século passado começou a se falar tanto na importância da fé.
Tomei um susto qdo vi uma capa da Revista Veja escrito FÉ, se não me engano com o rosto de Jesus na capa. Falava-se já em melhoras de doentes nos hospitais, dos pacientes que diziam acreditar em alguma força maior.
É a segunda parte dos 3 pontos para se atrair um desejo descrito pelos Abraham.
1 - Você pede
2 - O Universo te dá.
2 - Você permite receber.
Como é importante está alinhado com seu desejo, e estar alinhado é estar em sintonia, em vibração igual a vibração do que vc quer. E pra isso é preciso estar acreditando nestes 90%... confiando... confiando...." (Meg)

"Minha querida alma, seja fonte de confiança. Minha querida alma, faça de mim uma pessoa PROATIVA".

domingo, 7 de junho de 2009

MEDITAÇÃO: A RESPIRAÇÃO É O CAMINHO

A medicina tradicional tem realizado, cada vez mais, grandes avanços na descoberta de novos tratamentos para as enfermidades que afligem o ser humano. Paralelamente, as terapias alternativas também têm comprovado que, por meio da sensibilidade e das emoções bem-reguladas, é possível aumentar o bem-estar físico e mental.
A meditação é um poderoso aliado do corpo e da alma que consegue, com alguns exercícios, ajustar o que para muitos parece impossível de ser ajustado. A meditação acalma, nos ajuda a encontrar nossa fonte de luz, criatividade, intuição, saúde e fé, segundo Ivete Costa, consultora holística especializada em psicologia transpessoal.
A palavra meditação vem do latim meditare, que significa voltar-se para o centro, no sentido de afastar-se um curto período de tempo do mundo exterior e voltar a atenção para dentro de si. A técnica, ligada a religiões orientais, como o budismo, é considerada tão antiga quanto a humanidade. Atualmente, porém, não é preciso seguir uma seita para praticá-la. Por não ser uma religiosa, Ivete, por exemplo, diz que demorou para se render aos benefícios da meditação, já que achava que teria de rezar ou conversar com Deus todos os dias.
Sem forçar nada, as pessoas aprendem a utilizar e a mudar suas vidas com a meditação.
Milhares de pessoas tentam encontrar a luz no fim do túnel praticando diariamente esta técnica. De acordo com uma pesquisa norte-americana elaborada no ano passado pela Universidade de Massachusetts, mais de 10 milhões de pessoas meditam regularmente somente nos Estados Unidos.
Para que a dedicação dê resultados, é preciso fazer uso de uma importantíssima ferramenta natural: a respiração. Porém, não se trata daquela respiração automática, muitas vezes feita de maneira errada. É preciso reaprender a respirar e, assim, começar a usufruir de benefícios físicos e emocionais.
Segundo a equipe de profissionais da organização não-governamental "Arte de Viver", quando respiramos errado os pulmões são forçados e acabam precisando se movimentar rapidamente para garantir o fluxo de oxigênio necessário. Como consequência, o coração também é obrigado a acelerar o ritmo para conseguir fornecer sangue suficiente e transportar o oxigênio.
O resultado disso é a desorganização de vários órgãos, principalmente o cérebro, o que provoca reações negativas no corpo, como ansiedade e estresse. E a meditação é vista como capaz de exterminar esses dois vilões.
A respiração correta é como a dos bebês, que inspiram e expiram profunda e lentamente. Quando a pessoa leva ar para a parte inferior dos pulmões, onde as trocas de oxigênio são mais eficazes, tudo no corpo se modifica. O ritmo cardíaco e a pressão arterial diminuem, os músculos relaxam, a ansiedade cessa e a mente se acalma. Com este tipo de respiração é possível melhorar a má digestão, aliviar a ansiedade, elevar a qualidade do sono, entre outros benefícios. Isso prova o poder da meditação.
Para alcançar uma forma de respiração mais eficiente, a receita é a prática: exercícios constantes, que podem ser feitos em casa ou nos centros de meditação, em sessões de aproximadamente 20 minutos por dia. Como a respiração correta ajuda a aliviar a mente das frustrações passadas e da ansiedade com o futuro, ela tem a capacidade de trazer o indivíduo para o momento presente, melhorando a sua qualidade de vida. Para muita gente, o problema está exatamente aí, por não saber como esvaziar a mente, principalmente durante o trabalho de meditação.
Claro, que, se você for do tipo mais disperso (a) no começo terá um pouco de dificuldade para aprender a se desligar, mas poderá neutralizar os pensamentos com o tempo.
A pessoa precisa começar a prestar atenção na respiração. Feito isso, quando aquele turbilhão de ideias surgir, o importante é focar em apenas uma coisa por vez. Perceba no que está pensando e volte a focar na respiração.

DE PÉ, SENTADO OU DEITADO?

A postura ideal para descansar a mente varia de pessoa para pessoa. Algumas pessoas preferem meditar sentado, na chamada posição de lótus, com as pernas cruzadas. Outras gostam de relaxar deitadas em um local macio. O importante é deixar a coluna esticada e sentir-se confortável. Com o tempo, dá para incrementar com outros movimentos e até para meditar de pé.
Para que isso ocorra, é importante ter dedicação diária de no mínimo 15 minutos. Quando estiver seguro, aumente o tempo até chegar a uma hora.
Por meio da meditação, é possível renovar a energia pessoal, livrando-se dos pensamentos negativos e das tensões focalizando em cada chacra. Em consequência, também desaparecem as dores de origem psicossomáticas, provocadas pela distância entre o real e o idealizado pela mente.
Então, o que está esperando? Está tenso? Então Pare! Relaxe e preste atenção à sua respiração.

SUGESTÕES PARA ATENUAR A ANSIEDADE COM PRÁTICAS RESPIRATÓRIAS:
(Dicas da Terapia Energética)

Quando ansioso, tente essas alternativas percebendo qual se adapta melhor a você:

1. Respire ampla, profunda e pausadamente; Se não conseguir fazer assim, contenha a respiração completamente;
2. Não conseguindo nenhuma das duas possibilidades anteriores, respire rápida e superficialmente - "respiração de cachorrinho cansado", até que consiga realizar outro ritmo respiratório mais suave;
3. Concentre-se em seu interior (será necessário ter o propósito de se afastar por alguns momentos das preocupações correntes); para realizar isso, inspire profundamente duas vezes. Focalize sua atenção na respiração até que tenha terminado de exalar; fique sem respirar durante alguns segundos antes de inspirar novamente. Repita algumas vezes. Concentre a atenção na região do peito, imaginando que está respirando através do peito (respiração toráxica, veja mais sobre este tipo de respiração na seção sobre os exercícios respiratórios); tendo facilidade com exercícios de visualização, imagine cenas que lhe tragam paz e conforto. Focar sentimentos de gratidão e amor serão particularmente interessantes.

"Minha querida alma, seja fonte de disciplina e atenção"

Translate

POSTS MAIS RECENTES NO SEU EMAIL - CADASTRE-SE!