terça-feira, 24 de março de 2009

COMO LIDAR COM MAL-HUMORADOS

De fato, encontramos no dia a dia um bocado de desafios no que tange a relacionamentos. Como já citei em outro post, há vários tipos de pessoas diferentes, e que exigem de nós jeitos distintos de tratá-las. Não se trata de se adequar a elas ou jogar os seus jogos, mas compreendê-las e dar as respostas de acordo com a sua originalidade.
Sem dúvida, o tipo mais difícil de se lidar é com o mal-humorado, o irritadiço. Esta pessoa não consegue, ao que parece, passar um só dia sem ofender alguém, sem xingar, sem mostrar a sua raiva. Nada está bom, e sempre há o que reclamar.
É o típico cara zangado, para quem você diz “Bom dia!” e ele responde “Pra quem? Só ser for pra você!”.
Estes tipos geralmente nos intimidam, nos levam a pensar melhor antes de puxar conversa e, muitas vezes, promovem o afastamento das pessoas. Talvez seja este mesmo o seu objetivo, baseado no fato que a maioria dos mal-humorados, na verdade, estão é se defendendo de novos relacionamentos, têm medo do contato íntimo, não sabem como lidar com as pessoas à sua volta.
O que ele quer mesmo é exatamento o oposto, mas como não sabe como fazer isso, tenta pelo menos enganar aos outros e a si mesmo mostrando que o seu desejo é que você fique longe.
Minha primeira sugestão para você que convive com pessoas assim é que não se arrisque a confrontá-lo se não se sente preparado. Se tem uma coisa que é contagiosa é o tal do mau humor. Se você simplesmente “entrar de cabeça” ou “entrar de sola”, pode fazer um galo ou quebrar o pé, afinal, o cara está muito mais treinado nisso que você. Pior ainda é quando o mal-humorado é também um ser maléfico, que só pensa coisas negativas e muitas vezes age negativamente, seja para galgar degraus ou simplesmente para mostrar poder.
No entanto, mesmo que um pouco à distância, quando lhe for conveniente, jamais desista dele ou dela. Observe-o, descubra quais são seus gostos, tente conversar de igual para igual, sem arrogância, mas mostrando que merece o mesmo respeito que ele ou ela querem de você.

As dicas abaixo, baseadas em quatro princípios, foram extraídas do livro “Como lidar com pessoas difíceis”, da Editora Nova Cultural. Confira:

1 – PRINCÍPIO DO BEM - Niguém é destrutível porque quer.
Todos nós temos momentos de raiva, tristeza ou frustração. Isto é normal, e com o passar dos dias acaba. Mas quando continua, se aprofunda e toma conta do coração. Mas a maldade só toma conta da pessoa quando ela tem alguma carência, ou seja, a falta de alguma coisa em sua vida. Ela fica no lugar do que esta ausente causando a sensação de bem estar e de que não falta nada. A maldade é o tipo doentio de compensação de algo muito importante que a pessoa perdeu ou nunca conheceu.

2 – PRINCÍPIO DA ALEGRIA - Ninguém e triste porque quer.
Ninguém em juizo perfeito deseja ser mal humorado, ranziza, etc...
Nós não somos assim, mas em alguns momentos da vida, nós estamos assim, e como já dito, com o passar do tempo esses sentimentos desaparecem. Porém, as pessoas negativas, não conseguem ser felizes por si mesmas e buscam a felicidade no prazer de humilhar outras pessoas, ficando dependente dessas situações para ter um pouco de bem estar, esquecendo que a felicidade está dentro de cada um e não fora. A felicidade é contagiante, é mais fácil ser feliz perto das pessoas felizes. Quando estiver com alguém que só consegue ser feliz causando desgraça alheia lembre-se: ela não é assim porque quer, mas porque não consegue enxergar a vida como ela é.

3 – PRINCÍPIO DO AMOR - Ninguém odeia porque quer.
O ódio nasce cresce e se instala quando sofremos algum tipo de humilhação. O ódio é como uma planta, que quando se rega cresce. O ódio só fica anormal quando não vai embora. Quando impede que a gente perdoe quem nos humilhou.Então começa uma roda viva em que, cada ato movido pelo ódio gera mais ódio, quando somos incapazes de perdoar significa que: quem nos maltratou é superior a nós, tanto que os seus atos tem o poder de definir nossos sentimentos, na verdade essas pessoas cheias de ódio se sentem inferiores, imcapazes de amar, de perdoar. Mas você consegue, toque a sua vida para sua frente, isso faz toda a diferença.

4 – PRINCÍPIO DA AÇÃO POSITIVA - Ninguém age negativamente porque quer.
Primeiro, agir de maneira negativa é não agir de acordo com que somos, mas que estamos. Não somos vingativos, em alguns momentos estamos ou ficamos vingativos. Este sentimento de vingança é temporário, é uma reação necessária e involuntária devida à ação de quem nos provocou. A reação é uma ação negativa, é como uma resposta a provocação, isto significa que quem está decidindo a nossas ações, não somos nós, mas quem nos provocou. Se você reage, você faz o que a pessoa quer, mas se você agir (com consciência e não com a raiva). Você prova que é dono de si mesmo. Nossas ações devem vir de dentro de nós e não como reação ao que vem de fora de nós. Não reaja, aja.

“Minha querida Alma! Raivas, tristezas e preocupações que vivi acabaram”
“Minha querida Alma, faça de mim uma pessoa positiva e compreensiva”

Em tempo: leia também o tópico MAU HUMOR... OU DISTIMIA? , publicado no final do ano passado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translate

POSTS MAIS RECENTES NO SEU EMAIL - CADASTRE-SE!