sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

PORQUE O BESOURO VOA?

Estava fazendo uma pesquisa para uma palestra on line sobre motivação, solicitada por um grupo de amigos aqui da net. A galera queria que eu falasse a alguns de seus empregados sobre a importância de ser criativo, e também de não se impor limites à essa criatividade.
Claro que isso seria até fácil, se não houvesse, entre as 20 pessoas que participariam do encontro, pelo menos 15 que tinham uma crença altamente destrutiva: a de que criatividade é um dom, e quem não a tem pode desistir de buscá-la.
Lógico que não acredito nisso. Aliás, minha crença vai totalmente no sentido inverso, com base no que diz uma das máximas da PNL: Se alguém pode fazer algo,e fazê-lo bem, você também pode. Portanto, não existe essa coisa de que "não se é criativo", ou de que "Fulano, sim, consegue ter boas idéias".
A questão é que essas frases hipnóticas negativas (não posso, não sou capaz...) tem suas origens em locais bem profundos de nossas mentes, e se não houver algo que nos faça pelo menos buscar meios de "desafiar" estas "verdades", dificilmente ocorre alguma mudança.
Como o Universo sempre conspira para fazer com que alcancemos aquilo que desejamos, encontrei um texto maravilhoso, de Márcio Goes (www.marciogoes.com.br), que remete a esta nova abordagem. O tema citado por ele não é novo, pois já tive outros contatos, mas a forma como ele o explicita é agradavelmente objetiva.
Trata-se do fato de que o besouro (aquele que geralmente fica dando voltas nas luzes dos postes e que se cair de costas não consegue se virar para colocar as patas no chão), não poderia voar... mas voa!
"Mas o que faz um besouro voar?…", Ele pergunta. "Ninguém lhe deu este direito, pois ele não tem nenhuma aerodinâmica, sofre constantemente quando encontra-se de pernas para o ar tentando voltar a sua posição normal, além de não ter noção do perigo ao arremessar-se contra as luzes de um poste…
A triste e cruel verdade é que o besouro não foi feito para voar: ele voa de teimoso mesmo, ou melhor, de ingênuo… e de uma ingenuidade tamanha que não o deixa perceber seu maior defeito.
Ora... se ele não foi feito para voar, então porque ele voa?… A resposta é muito simples e elementar: Por que ninguém foi ousado o suficiente para dizer-lhe que não pode, e mesmo que tentassem dizer a verdade, nada mudaria, afinal ele não ouve nada mesmo… "
Quem dera se todos os seres humanos tivessem a ignorância do besouro e criassem um bloqueio para as expressões: “você não pode” e “você não consegue”. Creio que a maioria de nossos fracassos devem-se a nossos ouvidos que insistem em nos trair acreditando nesta falta de capacidade que o mundo insiste em alimentar na sociedade.
O besouro incomoda porque voa quando a maioria pensa que ele não deveria fazê-lo, pois é insuportável vê-lo nas alturas, mesmo sofrível e ruidosamente, enquanto nós, os "sabidinhos", rastejamos como cobras traiçoeiras no nosso mundinho de terra seca, com os problemas e depressões do mundo moderno nos levando cada vez mais para o abismo intelectual.
Infelizmente, propaga-se o amor ao caos. Devemos marchar até onde o mercado de trabalho exige, e na direção que ele quiser. Muitos que se dizem "sábios", "gurus", etc... não nos permitem voar, e quando alguém tenta, é tratado a chineladas, como o besouro, pois seu vôo barulhento incomoda àqueles que adoram rastejar nos seus problemas. E o pior é que muitos ainda querem que se faça propaganda de uma falsa felicidade obtida com a vida limitada que levam, em função de dinheiro, poder...
"Ah, quem dera tivéssemos a surdez e a ignorância do besouro, sem medo de fazer barulho nas alturas… sem medo do esforço que isso pudesse exigir… sem medo das reclamações daqueles que rastejam em busca de vítimas para seus desafetos… Sem medo de ser feliz e fazer felizes aqueles que se encontram ao nosso redor, ou seja... sem medo de ser besouro", sonha o blogueiro.
É por isso que, assim como ele, a cada dia espero ser, cada vez mais, tão ignorante quanto esse inseto. Pelo menos, serei um ignorante que se arrisca, e não um "mestre" cheio de paradigmas limitantes.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

DIMINUA O RITMO E VIVA MELHOR

As férias estão acabando para muita gente (para mim, na verdade, ela foi apenas nuvem passageira..rsrs).
Todos os anos, iniciamos nossas tarefas comuns (trabalho, estudos, etc...) com algumas "promessas" para uma vida melhor. Eu, por exemplo, estou procurando estabelecer um ritmo mais suave para minhas atividades, mesmo com a correria imposta pela necessidade da busca da noticia, do "furo de reportagem"...
Decidi isso depois de ler um belo artigo do professor e blogueiro Rui Nelson, em que ele dá ótimas dicas para esta diminuição de ritmo. Para ele, chega a ser engraçado que, com tanta tecnologia desenvolvida para economizar tempo, nós tenhamos nossas vidas cada vez mais ocupadas. "Com isso a vida parece passar por nós sem que realmente possamos aproveitá-la", afirma.
Mas não precisa ser dessa forma. Diminuir o ritmo em sua vida significa ter mais tempo para aproveitar nossas manhãs, para aproveitar melhor qualquer coisa que façamos. É se desconectar do celular, do computador e da Internet. Não ficar o tempo todo preocupado com trabalho ou tarefas como ler e-mails, por exemplo. "Não é uma decisão fácil, mas certamente lhe trará uma vida mais prazerosa e feliz", diz Rui.
Acredito que você, leitor do "Palavra Mágica", pode usar estas sugestões em seu dia-a-dia.

Confira:

Faça menos

    É difícil diminuir o ritmo quando você precisa e quer fazer um monte de coisas. Ao invés, tenha força de vontade e faça menos. Foque no que realmente é importante e precisa ser feito. Assim sobra espaço que você pode colocar entre as tarefas e assim ter dias mais felizes.

Esteja presente

    Não basta diminuir o ritmo, você precisa se concentrar no que estiver fazendo. Isto significa não ficar pensando o tempo todo em coisas que já aconteceram, ou que eventualmente virão a acontecer. Foque no que estiver fazendo no momento e dirija todos os seus pensamentos para isso. Requer prática, mas é essencial.

Desconecte-se

    Estar conectado o tempo todo nos deixa sujeitos a interrupções e constantemente estressados com a quantidade de informação que chega. Você também não precisa ficar checando mensagens o dia inteiro. Dê um tempo para você e desligue seu celular, seu IPhone ou Blackberry, seu laptop, ou outro dispositivo qualquer de comunicação.

Foque nas pessoas

    É comum nos encontrarmos com amigos ou familiares, conversar com eles, mas permanecer distraídos por nossos dispositivos eletrônicos ou em nossos pensamentos naquilo que temos para fazer. Nós ouvimos, mas permanecemos mergulhados em nós mesmos. Isso é comum e com um pouco de esforço podemos mudar e nos tornar mais presentes no contato com as pessoas. Sem dúvida um uso mais efetivo do seu tempo!

Aprecie a natureza

    Muitos de nós passamos a maior parte do tempo em nossas casas, escritórios, carros, ônibus e etc. Raramente paramos e ficamos ao ar livre observando a natureza, respirando o ar fresco das manhãs, aproveitando a serenidade das águas e plantas. Faça atividades ao ar livre sempre que puder, de preferência diariamente.

Coma devagar

    Em vez de engolir a comida o mais rápido possível, aprenda a comer mais devagar. Aproveite cada mordida, cada pedaço e cada sabor. Comer devagar nos garante vários benefícios. Além de nos permitir apreciar melhor os sabores e as texturas, nos ajuda a comer menos e digerir melhor os alimentos.

Dirija devagar

    Correr no trânsito é um hábito constante em nossas vidas ocupadas e atribuladas. Mas esse fato também é responsável por inúmeros acidentes, stress e maior consumo de combustível. Ao invés disso, se acostume a dirigir devagar e tranquilamente. Aprecie os detalhes do trajeto. Faça isso em paz consigo mesmo e com a vida. Você vai ganhar em prazer e segurança.

Veja o lado bom das coisas

    Observe as coisas que você faz e tente encontrar prazer em cada ação. Por exemplo, ao lavar os pratos, não fique reclamando, mas aproveite para apreciar diferentes sensações com a água, o sabão, os pratos e etc. Pode ser uma tarefa divertida e só depende de você! O mesmo se aplica a outras tarefas do dia a dia como: lavar o carro, varrer a casa, passar roupa e outras. A vida pode ser muito mais divertida se você adotar esse hábito, que é muito simples.

Seja mono-tarefa

    O oposto ao multi-tarefa. Faça (comece e termine) uma coisa de cada vez. Antes de mudar para outra tarefa, faça uma pausa, respire, descanse e depois vá em frente.

Descanse

    Quando você se achar cansado e estressado, não tenha dúvida, faça uma pausa. Respire bem fundo. Sinta o ar entrando em seus pulmões e o stress indo embora. Concentre-se em sua respiração. Isso vai te ajudar a relaxar e recarregar as energias. Não se sobrecarregue, acabando assim mais rapidamente com seu corpo e sua mente.

Comece a fazer essas pequenas coisas hoje mesmo e aproveite melhor sua vida.

MINHA QUERIDA ALMA, SEJA FONTE DE TRANQUILIDADE E HARMONIA

Translate

POSTS MAIS RECENTES NO SEU EMAIL - CADASTRE-SE!