terça-feira, 30 de outubro de 2012

DEPRESSÃO TEM CURA

Na última segunda-feira (29),  o "Brasil das Gerais", apresentado pela maravilhosa Roberta Zampetti na Rede Minas, tratou do tema "Depressão tem cura?". Fiquei feliz em poder participar enviando o meu depoimento, um dos áudios apresentados no programa. O assunto é altamente atual, e deveria ter sido assistido por muita gente na cidade onde vivo, pois aqui a depressão é tratada de maneira superficial pelas pessoas (Ah, tadinho... ele perdeu o emprego e ficou deprimido... Ela perdeu o namorado e ficou sem rumo... A morte da mãe (ou do pai) fez com que aquela pessoa perdesse o foco.... Por causa de Fulana, Ciclano se matou...).
Eu enfrentei a depressão já desde a minha infância, tendo-a como companheira indesejada por pelo menos 20 anos, e posso dizer que essa intrusa maldita, que causa tanto sofrimento, com uma angústia vinda não sei de onde, com uma culpa não se sabe do quê, com o desejo de largar mão de tudo, inclusive da vida, tem raízes muito mais profundas que um simples acontecimento exterior (isso é só um gatilho para os sintomas). Buscar elementos externos para justificar a reação negativa provocada pela doença (sim, é uma doença) serve mais para culpar os outros do que para encontrar a cura, que só é possível quando olhamos para nós mesmos.
Agora, sei como lidar com cada um dos sentimentos negativos que antes se impunham. Não que eles tenham ido embora. Como qualquer ser humano ainda sinto angústias, fico triste... mas agora vejo estes sentimentos como oportunidades de mudança, de transformação, não como monstros que poderiam me destruir.
Quando enfim descobri a causa principal do meu desequilíbrio, o Transtorno Bipolar, enfim me livrei do vazio, da dor, do medo. Neste mesmo período, tive os primeiros contatos com a PNL e aprendi a usar suas técnicas para controlar a ansiedade, eliminar traumas, lidar com os desafios impostos pelo dia a dia e a mudar o foco de minha vida, antes direcionado a problemas, para a busca de soluções.
Eu fui beneficiado, principalmente, pelo belo trabalho da psicóloga Walkíria Coelho, que hoje é especialista em PNL, e pelo seu marido, o psquiatra Eduardo Coelho, que diagnosticou a minha bipolaridade (e também alguns sintomas de Borderline). A eles, bendigo todos os dias. O melhor é que eles nunca tiveram preconceitos contra as muitas formas interessantes de terapias que eram divulgadas na época (meados dos anos 90), como a filosofia clinica, PNL, etc..., e assim pude aprender muitas delas. Até hoje utilizo as técnicas da PNL, da Linguagem Corporal, da Auto Hipnose e outras complementares para me manter centrado, e posso garantir: Vale muuuito a pena.
Por essa razão é que acredito: Depressão tem cura, sim! Para isso, é preciso primeiro que as pessoas que cercam o deprimido nunca desistam de ajudá-lo, como a minha querida mãe sempre fez. Mesmo cometendo alguns equívocos, mandando para médicos que só faziam passar remédios para curar os sintomas ou calmantes fortíssimos, ela nunca deixou de tentar acertar, não desistiu de mim, e por isso eu também não desisti. Da mesma forma, "quem procura, acha"! Eu sempre experimentei jeitos diferentes de me tratar, tentava alternativas, novos profissionais, e por fim descobri as terapias que se encaixaram bem em minha vida (além do lítio, esse "elixir do equilibrio"...rsrsrs).
Esse recado vai para você, que fica ai prostrado (a), vivendo na auto-piedade, apontando o mundo como causa de seus infortúnios e sem a coragem de buscar uma saída: Se mexa, peça ajuda, procure apoiadores para a mudança e não culpados para o sofrimento. Apenas dê o primeiro passo em direção à cura, e ela própria dará um jeito de encurtar a distância até você.

5 comentários:

  1. A cura da depressão tem que partir principalmente da própria pessoa mas na maioria das vezes é difícil. Meu amigo tem depressão e ele esta se tratando, pelo que eu soube do lugar que ele esta fazendo tratamento, Clínica Maxwell, esta ajudando muito ele. Espero que ele continue melhorando cada dia mais.

    ResponderExcluir
  2. tenho 21 anos nao sai mais de casa quando saio nao mim cinto bem na maioria das vezes,minha vida acabou simplismente vivo por viver,as vezes penço em tira minha propria vida por que minha cabeça já nao mim pertence mais..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que tal ao invés de pensar em tirar a própria vida, ter a coragem de NASCER DE NOVO, amigo(a) anônimo(a)? Palavra de quem já passou por momentos terríveis assim: VALE A PENA DEPOIS RELEMBRAR O QUE PASSOU E PERCEBER O QUE CONSEGUIU VENCER!
      Há ótimos profissionais por aí prontos pra te ajudar, mas a iniciativa de procurá-los tem que ser sua, ok?

      Excluir
    2. gostei do seu depoimento meu marido esta com depressao
      não sei oque fazer como ajuda-lo esta tomando tres tipos de calmantes e ainda tem o vicio de beber ta dificil preciso de ajuda urgente acho que tambem estou c/problemas psicologicos me da vontade de me matar as vezes so que Deus tem me dado muita força senão eu teria desistido A.A.S

      Excluir
  3. Vi uns comentários estou feliz para aqueles que saíram da depressão porém existe um tratamento que é muito eficaz o qual a sua vida tende a sair não chora depressão como do vício aí vem a pergunta mas será que funciona você só vai saber se você for lá se funcionou comigo tem tudo pra funcionar com você Avenida João Dias 1800 oitocentos em Santo Amaro

    ResponderExcluir

Translate

POSTS MAIS RECENTES NO SEU EMAIL - CADASTRE-SE!