quinta-feira, 26 de agosto de 2010

NEM TUDO É COMO APARENTA - É SÓ PARADIGMA

Esta história está no livro "Os sete hábitos das pessoas muito eficazes" de Steven R. Covey. Leia com atenção e depois medite um pouco sobre suas reações diante dos acontecimentos que lhe ocorrem.

"Eu me recordo de uma mudança de paradigma que me aconteceu em uma manhã de domingo, no metrô de Nova York. As pessoas estavam calmamente sentadas, lendo jornais, divagando, descansando com os olhos semicerrados. Era uma cena calma, tranqüila.
Subitamente um homem entrou no vagão do metrô com os filhos. As crianças faziam algazarra e se comportavam mal, de modo que o clima mudou instantaneamente.
O homem sentou-se a meu lado e fechou os olhos, aparentemente ignorando a situação. As crianças corriam de um lado para o outro, atiravam coisas e chegavam até a puxar os jornais dos passageiros, incomodando a todos. Mesmo assim o homem a meu lado não fazia nada.
Ficou impossível evitar a irritação. Eu não conseguia acreditar que ele pudesse ser tão insensível a ponto de deixar que seus filhos incomodassem os outros daquele jeito sem tomar uma atitude. Dava para perceber facilmente que as demais pessoas estavam irritadas também. A certa altura, enquanto ainda conseguia manter a calma e o controle, virei para ele e disse:
– Senhor, seus filhos estão perturbando muitas pessoas. Será que não poderia dar um jeito neles?
O homem olhou para mim, como se estivesse tomando consciência da situação naquele exato momento, e disse calmamente:
– Sim, creio que o senhor tem razão. Acho que deveria fazer alguma coisa. Acabamos de sair do hospital, onde a mãe deles morreu há uma hora. Eu não sei o que pensar, e parece que eles também não conseguem lidar com isso.
Podem imaginar o que senti naquele momento? Meu paradigma mudou. De repente, eu vi as coisas de um modo diferente, e como eu estava vendo as coisas de outro modo, eu pensava, sentia e agia de um jeito diferente. Minha irritação desapareceu. Não precisava mais controlar minha atitude ou meu comportamento, meu coração ficou inundado com o sofrimento daquele homem. Os sentimentos de compaixão e solidariedade fluíram livremente.
– Sua esposa acabou de morrer? Sinto Muito. Gostaria de falar sobre isso? Posso ajudar em alguma coisa? – Tudo mudou naquele momento.

Depois que sai do trem, me pus a refletir sobre o que aconteceu, e tomei consciência que muita gente passa por uma experiência fundamental similar de mudança no pensamento, quando enfrenta uma crise séria, encarando suas prioridades sob nova luz. Isso também acontece quando as pessoas assumem repentinamente novos papéis, como marido, esposa, pai, avô, gerente ou líder".

Steven R. Covey

Pois é... Você já passou por mudanças assim, e continuará passando.
Esteja sempre pronto a ampliar o seu "mapa". O mundo nem sempre é como você o representa.

4 comentários:

  1. Isso foi uma grande lição pra mim, sempre impaciente e com vários problemas para entender as pessoas. Preciso de mais serenidade...

    ResponderExcluir
  2. Antonio Carlos, concordo contigo que nem tudo é como parece, e a gente às vezes faz besteira por reagir de maneira intempestiva... mas como identificar estes momentos antes que aconteçam?

    ResponderExcluir
  3. Marlon, a identificação pode até ocorrer, mas a maneira com a qual devemos agir está voltada para um pressuposto da PNL: É preciso ter rapport! Se você estiver em sintonia com as pessoas, você evita avaliar o que acontece pelo que vê primeiramente.
    Estabelecer rapport é exatamente isso: nada de respostas com base em minhas crenças básicas, mas sim, a decisão de tentar entender o que acontece realmente.
    Outra forma legal é ressignificar: Pense em um significado diferente, menos ofensivo, e a sensação ruim muda. Ex: Uma criança brincando sem limites pode ter vários significados (má educação, alegria, estresse, gostar de estar entre as pessoas, busca por espaço, liberdade que não tem em casa...), mas você vai se sentir bem ou mal de acordo com o que você der para a postura delas.

    ResponderExcluir
  4. é verdade, nem sempre nos damos conta no que a pessoa está sentindo o que aconteceu com ela o pq ela reagiu daquele jeito, preciso tb pensar sobre isso..........nunca olhar com os olhos da carne mas sim com os olhos do coração.

    ResponderExcluir

Translate

POSTS MAIS RECENTES NO SEU EMAIL - CADASTRE-SE!