segunda-feira, 12 de agosto de 2013

PRODUZINDO EMOÇÕES POSITIVAS

Olá, amigo e amiga do "Palavra Mágica". Enfim, após uma loooonga, mas não tenebrosa pausa, volto a fazer o que mais gosto na Net: Oferecer algo que possa ajudar as pessoas em seus desenvolvimentos. Sinceramente, desta vez espero de fato que a minha bipolaridade não me faça prometer, de novo, algo que eu não possa cumprir, e por isso apenas reafirmo que, sempre que for possível, estarei aqui!
Falando nisso, estava me lembrando de quando comecei a estudar as técnicas e os ensinamentos que me fizeram escolher, além do jornalismo, a área do treinamento da emoção. A primeira coisa que aprendi foi que nossas reações se dão através de atos e palavras que nos remetem a um foco. Muitas vezes, este foco pode ser positivo. Em outras, negativo. Qualquer um de nós pode fazer com que os outros entrem em um ou outro comportamento, com simples palavras, com uma simples frase, ou até mesmo uma simples pergunta.
Nem precisarei explicar isso de maneira muito extensa. Basta que você leia com atenção a metáfora abaixo, uma das preferidas para se explicar o que é PNL (Programação Neurolinguística), e saberá do que estou falando:

O que é PNL & Foco? 

Um jovem aprendiz de técnicas de auto-ajuda encontrou, na internet, um prospecto sobre cursos de PNL, com ênfase no Foco Positivo. Ele sabia que sua mãe já havia participado de eventos do gênero, mas nunca havia se interessado pelo assunto. Pensou então que as técnicas poderiam lhe proporcionar novos conhecimentos no campo que estava estudando, e resolveu perguntar para ela sobre isso que era, para ele, uma novidade naquele momento. Encontrou a genitora fazendo o almoço do Dia dos Pais, atarefadíssima, mas não deixou de fazer a pergunta básica.
"Mãe, a senhora participou de alguns workshops de PNL, não foi?".
"Sim, filho, e foram muito bons para mim", respondeu a mulher, sem parar de mexer com as panelas.
"Então, a senhora vai saber me dizer, porque estou curioso: O que é PNL, e como funciona esse negócio de "foco positivo"?", lançou.
"Ih, filho, já te respondo. Antes, vai lá na sala, onde seu avô está esperando o almoço do Dia dos Pais, e pergunte a ele como está o nervo ciático hoje".
O jovem fez como a mãe havia pedido. Foi até o velho e querido avô, e fez a pergunta solicitada. O velho se ajeitou no sofá, como que para diminuir um incômodo, e respondeu, fazendo cara de dor:
"Nossa, meu neto querido. Hoje está até bom esse maldito nervo ciático. Tem dias que me trava as pernas, e nem consigo andar. Hoje mesmo acordei com uma dorzinha, e de vez em quando dá umas pontadas chatas...".
O rapaz voltou e contou à mãe o que o pai dela havia respondido, e insistiu na pergunta: "O que é PNL e foco positivo, mãe? Quero fazer o curso, mas não sei se vai valer a pena".
"Tá bom filho...". a mãe despejou o macarrão na escorredeira para sair a água e de novo deu uma ordem: "Antes, vá de novo à sala e pergunte ao vovô qual foi a maior traquinagem que você fez quando passeava com ele".
O rapaz, um pouco a contragosto, voltou à sala, e fez a pergunta. "Vovô, você se lembra qual foi a maior traquinagem que fiz quando era garoto e a gente saia para passear?".
O velho abriu um largo sorriso, olhou para cima e respondeu: "A gente foi passear no parque, e eu resolvi te ensinar a andar de bicicleta. Te dei uma com rodinhas. Só que você, muito esperto, saiu muito rápido e nem olhou pra trás. Tinha um grupo de vendedores de balões nas curvas dos caminhos, e a cada uma delas você levava dois ou três balões na bicicleta, sem contar os que subiram e nunca mais foram vistos. Tive que pagar todos, mas me arrebentei de tanto rir", contou o senhor, às gargalhadas e fazendo gestos vigorosos ao repetir a história.
O jovem, rindo também, voltou á cozinha. "A senhora ouviu o que o vô falou, né, mamãe? Ele tá rindo até agora!".
A dona de casa então se virou e disse: "Então, meu filho. Você antes foi lá e perguntou sobre algo que faz seu avô sofrer. Ele imediatamente 'entrou no papel" e passou a representar todo o sofrimento que as dores do nervo ciático lhe causam, e ficou triste. Depois, você lhe fez ter uma lembrança gostosa, e viu como ele mudou? Ficou corado, alegre, vigoroso... porque assumiu a postura de alguém que estava feliz. Isso é pura PNL, e isso é ajudar as pessoas, dentro de suas realidades, a estabelecer um foco positivo e a fazer aflorar esta emoção".
"Puxa! Tão simples?", disse o rapaz, entusiasmado. "Obrigado, mamãe. Vou aprender mais, e assim poderei ajudar outras pessoas a terem também esta oportunidade".
E, com essa alegria, o neto voltou para a conversa com o avô, e passou a lembrar, com ele, todos os bons momentos de sua infância, passando, assim, uma tarde agradabilíssima de domingo, com muitos risos e muito carinho.

"Minha querida Alma... seja fonte de positividade, alegria e bem-estar"

Um comentário:

  1. Oi, Toninhoooo... Que bom poder ler os seus textos de novo!

    ResponderExcluir

Translate

POSTS MAIS RECENTES NO SEU EMAIL - CADASTRE-SE!